Tratamentos para TDAH - Déficit de Atenção


TRATAMENTOS INTEGRATIVOS & MULTI-DISCIPLINARES

Quais são os tratamentos para TDAH

Qual o melhor tratamento para o TDAH - Déficit de Atenção

Tratamento do TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção deve buscar resultados de longo prazo e mudanças sustentadas, através de uma abordagem integrativa e multi-dimensional. Foi-se o tempo em que se dizia que o único tratamento era usar medicação. O objetivo final é buscar qualidade de vida, satisfação pessoal e profissional. TDAH tratamento é possível. Por isto vale a pena tentar e mudar.

Até algum tempo atrás, acreditava-se que o único tratamento do TDAH disponível era o uso de medicação psiquiátrica. Isto sempre gerou muita resistência, já que são estas drogas com potencial de abuso e dependência. Até mesmo algumas pessoas deixavam de tratar o TDAH, por puro desconhecimento das opções disponíveis.
Os profissionais mais atualizados e alinhados com o pensamento contemporâneo já ultrapassaram as posturas medicalistas sobre as melhores práticas de tratamento. Estes avanços se devem, em parte, à novas pequisas sobre o funcionamento do cérebro. Por outro lado, representam também uma demanda legítima por opções de tratamento mais sustentáveis, com foco no longo prazo.
Conheça o IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção

Referência em TDAH desde 2004

Clinica especializada em TDAH – Déficit de Atenção. Referência em diagnóstico, tratamentos e cursos para portadores, familiares e profissionais. Transtornos isolados ou em comorbidades: Ansiedade, depressão,stress crônico, agressividade e impulsividade. Problemas profissionais, estudo / aprendizagem e relacionamentos.

Agendar Consulta

É POSSÍVEL SUPERAR

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho…

não precisam ser para sempre. Encontre a ajuda que você necessita.

Marcar Consulta

Tratamento do TDAH Multi-Dimensional e Integrativo

Quando se pensa em tratar TDAH, é obrigatório ter em mente a NATUREZA do transtorno. Trata-se de fenômeno multi-dimensional, um transtorno neuro-comportamental. O TDAH tem componentes neurobiológicos, sem sombra de dúvida. Contudo, não se pode deixar de lado seus componentes comportamentais, emocionais e de aprendizagem. Afinal, somente um tratamento que contemple estes aspectos de forma integral trará os resultados desejados, no curto, médio e longo prazo.

Ademais, estamos num momento de profundas mudanças culturais e sociais. Já não se aceita com facilidade excessos em produtos químicos, agrotóxicos e soluções agressivas para mente e corpo. Acima de tudo, as pessoas estão em busca de alternativas mais naturais e sustentáveis, de tratamentos sem medicação e que tragam resultados de longo prazo.

Veja a participação de cada um destes componentes, num plano ideal de tratamento do TDAH:

1. Tratar TDAH é tratar o cérebro

A base orgânica do TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção, Hiperatividade / Impulsividade – está relacionada a anomalias no funcionamento de diversas áreas cerebrais. Em especial as áreas corticais pré-frontais, que trazem prejuízos às funções executivas do cérebro. Anteriormente, por vários anos até, defendeu-se a idéia que a primeira linha de tratamento o TDAH era uso de medicamentos. Finalmente, estas crenças já foram superadas.

Querer algo diferente da medicação jamais pode significar deixar o cérebro de lado. Ao contrário. O tratamento do TDAH deve necessariamente levar em conta necessidades relacionadas ao substrato orgânico cerebral. Este é um ponto pacífico, ninguém questiona a importância de melhorar o funcionamento cerebral.

Os remédios mais comuns para TDAH são os PSICOESTIMULANTES. No Brasil, os mais usados são Ritalina, Venvanse e Concerta. Essencial ressaltar que medicação é um aliado importante no tratamento do TDAH, porém não é o único caminho para melhorar o funcionamento do cérebro. Porque, com os avanços tecnológicos, diversas alternativas passaram compor o leque de opções disponíveis.


Alternativas Não-Medicamentosas de Tratamento do TDAH: Cérebro

Há diversos tipos de treinamentos cognitivos, na linha de Ginástica Cerebral – Brain Fitness. Da mesma forma como se faz academia para o corpo, treinar o cérebro é uma necessidade igualmente real para quem sofre com distrações e esquecimentos.

Brain Entrainment – Estimulação Cerebral é outra alternativa totalmente natural, não-medicamentosa que traz resultados muito positivos. É baseada numa capacidade intrínseca do cérebro de ajustar seus padrões de frequência neuronal a estímulos rítmicos. Sejam auditivos, como pulsos de som, sejam visuais.

O Biofeedback e Neurofeedback são também opções bem interessantes, com potencial para melhorar o foco, a concentração e o equilíbrio emocional, de maneira totalmente natural e não-invasiva.

2. Tratar TDAH é mudar comportamentos

Superar os déficits do TDAH demanda encarar o dia-a-dia de um jeito diferente. Faz parte essencial do manejo dos sintomas criar estratégias de enfrentamento – novas maneiras de fazer as coisas. De tornar mais fácil o que hoje parece impossível.

Claro que é simples de dizer e bem complicado em realizar. Afinal, quem sofre com TDAH sabe quantas vezes já prometeu mudar, apenas para fracassar em seguida. Neste ponto, a Psicoterapia Comportamental-Cognitiva – TCC pode fazer toda a diferença.

Como se sabe, o adiamento crônico – a famosa “procrastinação” é um dos sintomas mais sérios do TDAH. Aquela mania de deixar tudo para depois, as desculpas do tipo “depois eu faço”. Além do que, a esquiva para iniciar as atividades vem sempre acompanhada da sensação “não quer, não aguento”. Especialmente em adultos, chega a ser tão arraigada que pode impedir o avanço dos tratamentos se não forem bem cuidadas.


Alternativas Terapêuticas no Tratamento do TDAH

zz Às vezes, é a pura ausência de hábitos e rotinas. Outras vezes, são distorções de pensamento, como a idéia fixa que “vai dar tempo”, quando a própria pessoa já sabe que não vai dar mesmo. Com a terapia e as experiências cumulativas de sucesso, a autoestima vai fortalecendo. E, com o tempo, a pessoa vai sentindo capaz de assumir responsabilidades e compromissos sem tanta relutância ou conflito.

Para aqueles que já superaram estas primeiras etapas de adiamento crônico, baixa estima e esquiva de responsabilidades, existe o Coaching Comportamental. É uma excelente opção, especialmente para TDAH em Adultos. O Coaching é baseado num tipo de treinamento bem diretivo e focado. Trabalha-se em conjunto para identificar, aplicar e aprimorar estratégias necessárias para se alcançar os objetivos. Por estas características, é ideal para adultos com foco em estudos ou vida profissional.

3. Psico-educação – Conhecer para conquistar

Saber mais sobre o TDAH é essencial. Pode ser que você apenas suspeite ter TDAH. Talvez já tenha recebido um diagnóstico ou esteja em tratamento. Poderá ser mãe ou professor de uma criança ou jovem com Déficit de Atenção, hiperatividade ou outros problemas associados. Qualquer que seja seu caso, o interesse em tratamentos do TDAH é plenamente justificado.

Independente de quem é você, do motivo que o leva a pesquisar sobre TDAH, este é um passo absolutamente necessário. Tem até um nome técnico – chama-se Psico-Educação. Envolve conseguir informações substanciadas sobre o problema em questão. Saber do que se trata, o que se pode fazer. Como fazer. Tudo isto fortalece a pessoa, ajudando o enfrentamento, a mudanças e os ajustes necessários.

A Psico-educação pode ter início antes de um diagnóstico formal, prosseguindo ao longos dos tratamentos, quaisquer sejam. Ocorre de forma individual – quando a pessoa faz, por conta própria, pesquisas em sites ou busca leituras especializadas. Também, quando durante tratamentos específicos, por exemplo, com medicação ou terapias, os profissionais seguem orientando seus pacientes.

Entender o que acontece permite, em primeiro lugar, vencer idéias errôneas e preconceitos. Ajuda melhorar a autoestima e se posicionar melhor diante das pessoas e das circunstâncias. Igualmente, permite passar para uma etapa essencial à superação das dificuldades. Quando se chama para si o direito e a responsabilidade pela mudança. Quer pela escolha de tratamentos, quer por novos hábitos e estilo de vida.

Bons tratamentos começam com um bom diagnóstico

Qualquer tratamento deve ser baseado numa análise extensa das potenciais causas e fatores de risco envolvidos. Isto é especialmente verdadeiro para o TDAH – Déficit de Atenção e Hiperatividade. Pois como se trata de um transtorno complexo, neuro-comportamental, todos os fatores devem ser considerados. Hereditariedade, características genéticas, funcionamento emocional, comportamental e de aprendizagem.

Isto apenas pode ser alcançado por meio de um excelente Diagnóstico Diferencial.

O DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL tem por objetivo identificar se o problema pode ser TDAH, se pode ser outro transtorno ou então se existe uma comorbidade – mais de um problema ao mesmo tempo. É o ponto de partida para desenvolver um PLANO DE TRATAMENTO. Quer dizer, um plano de ação concreto, com prioridades e objetivos de curto e longo prazo.

Conforme foi sendo enfatizado neste artigo, com TDAH e comorbidades é necessário um propor um tratamento integrado e multi-dimensional. Para atingir tanto aos déficits de base orgânica quanto os comportamentais, emocionais e de aprendizagem. O quanto se investirá em cada área, por quanto tempo e com qual prioridade varia de acordo com o caso.

Atenção especial à interação de fatores de risco

A ocorrência do TDAH e a intensidade dos sintomas depende de uma interação complexa de fatores de risco genéticos com as condições ambientais e circunstanciais. O contexto de vida, a organização familiar, o tipo de escola, o ambiente de trabalho, etc. Também a história pessoal de cada um – potencial cognitivo, quais habilidades comportamentais, quais facilidades e dificuldades, entre outras.

Há algumas condições ambientais que favorecem a manifestação das formas mais graves do transtorno. Outras funcionam como fatores de proteção, que podem minimizar ou reduzir a gravidade dos sintomas. Tudo isto deve ser levado em conta ao propor o tratamento.

Em um exemplo, muitas crianças e jovens com TDAH que procuram tratamento por dificuldades escolares apresentam déficits comportamentais intensos na área de habilidades de estudo. Mesmo que as dificuldades orgânicas fossem sanadas, ainda assim estas crianças e jovens necessitam de um tratamento comportamental-psicopedagógico para aprenderem melhores estratégias e bons hábitos de estudo.

Cacilda Amorim

Cacilda Amorim - Psicoterapeuta e Coach Comportamental

Diretora do IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção

CRP 06/61710

Veja também: Tratamentos para TDAH

Efeitos colaterais dos Psicoestimulantes

Efeitos colaterais dos Psicoestimulantes

Dizem que a Ritalina é uma droga completamente segura. Que Ritalina efeitos colaterais são pequenos e passam rápido. Não é verdade - este mito é um dos mais perigosos. Que psicoestimulantes podem ser usados à vontade, incluindo Ritalina, Venvanse e Concerta.

Medicação Remédios tarja preta para TDAH

Tratamento com remédios para TDAH

Psicoestimulantes são a categoria de remédios mais comuns no tratamento do TDAH, por muitos anos a escolha de primeira opção. Ainda há muito desconhecimento, preconceitos e idéias errôneas sobre Ritalina, Venvanse e Concerta, especialmente devido a sua "tarja-preta".

TDAH tem cura

TDAH tem cura?

TDAH tem cura? É para sempre? Esta é uma das perguntas mais frequentes... depois de uma vida com tantas dificuldades, o que mais se quer é uma solução permanente. E hoje em dia ninguém mais suspeita de algo e fica "padado". A primeira coisa é... pesquisar no Google! Só que são muitas pessoas dizendo que "não tem cura". E agora?

Venvanse remédio para TDAH Déficit de Atenção e Hiperatividade

Venvanse (Lisdexanfetamina)

Venvanse é o primeiro medicamento brasileiro para TDAH à base de anfetamina. Isto o torna um remédio bem mais potente, quando comparado à Ritalina ou Concerta. Mais forte em seus efeitos positivos sobre foco e concentração, igualmente pode causar maiores efeitos colaterais.

TDAH tratamento sem remédio

TDAH Tratamento sem Medicação

Não se trata de preconceito contra os "tarja-preta". Pois "pré-conceito" é exatamente isto - uma idéia prévia e sem fundamento. Bem diferente de quem escolhe conscientemente se tratar sem medicação. Que sabe bem o que está fazendo, depois de muita pesquisa e ponderação. Claramente uma escolha "pós-conceito".

Ritalina remédio para TDAH Déficit de Atenção e Hiperatividade

Ritalina (Metilfenidato)

A Ritalina é um remédio que serve para tratar o Déficit de Atenção / Hiperatividade. É um psicoestimulante da família das anfetaminas, que servem para estimular mente e cérebro. Por isto, é usado para aumentar a concentração, velocidade mental e capacidade de execução.

Concerta remédio para TDAH Déficit de Atenção e Hiperatividade

Concerta (Metilfenidato)

O Concerta é um remédio para TDAH feito com a mesma substância da Ritalina - o Metilfenidato. O Concerta foi o primeiro medicamento do Brasil com a formulação LA (de longo alcance), que trouxe a vantagem de se tomar apenas um comprimido por dia.

Coaching comportamental para TDAH adulto

Coaching Comportamental

Mudanças concretas e novos hábitos. Acima de tudo, transformações muito pé-no-chão são indispensáveis para todos que sofrem com TDAH. O Coaching para TDAH é ideal para adultos, que tem necessidades urgentes de organização, planejamento, de colocar prioridades e realizar até mesmo as coisas mais simples do dia-a-dia.

TCC Terapia comportamental-cognitiva para TDAH

TCC - Terapia Comportamental-Cognitiva

Mudanças nos comportamentos, criação de novos hábitos, melhor capacidade de enfrentamento, motivação sustentada, auto-estima... tudo isto indispensável para a superação das dificuldades. A Terapia Comportamental-Cognitiva é a técnica mais eficaz para o TDAH.

Dependência de remédios tarja-preta

Risco de dependência dos remédios "Tarja-Preta"

A medicação tem efeito positivo sobre a concentação, foco e redução da agitação mental, porém dentro de certos limites. A partir de um dado ponto, não adianta mais aumentar a dose para tentar melhorar um pouco mais. Normalmente, a solução é investir em tratamentos não-medicamentosos em paralelo.

Brain Entrainment estimulação cerebral para TDAH

Brain Entrainment - Estimulação Cerebral

Com o Brain Entrainment é possível se alcançar os estados mentais desejados, a cada momento. Maior foco e concentração para estudar... e depois, relaxamento e tranquilidade para descansar e recarregar as baterias. Brain Entrainment é uma técnica totalmente não-invasiva e natural para tratar o TDAH Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Biofeedback ajuda no stress e TDAAH

Biofeedback ajuda no Stress e TDAH

O TDAH é um importante fator de risco para stress. Simultaneamente, o stress potencializa a distração, impulsividade, esquecimentos, problemas de memória e as famosas oscilações de humor, típicas do transtorno. O Biofeedback é uma interface corpo-máquina, parte das linhas naturais / não medicamentosas de tratamento.

Brain Fitness Ginástica Cerebral

Brain Fitness - Ginástica Cerebral

Brain Fitness - Ginástica Cerebral se baseia na noção que o cérebro pode ser melhorado através de exercícios. Ganhar mais foco, concentração, ter uma memória melhor tem relação direta com o conceito de Neuroplasticidade, segundo o qual as estruturas cerebrais não são "fixas", podendo melhorar (ou piorar) a depender do quanto são usadas.

Neurofeedback tratamento natural para TDAH

Neurofeedback

O Neurofeedback é um tipo de tratamento para o cérebro que ajuda a melhorar a concentração e velocidade mental, a partir de uma interface cérebro-máquina. Sensores captam sinais elétricos provenientes dos neurônios, sendo posteriormente decodificados e processados por um software especializado.

Background

É POSSÍVEL SUPERAR

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho…

não precisam ser para sempre. Encontre a ajuda que você necessita.

Marcar Consulta

TRATAMENTO DO TDAH - DEPOIMENTOS

Veja estas e tantas outras estórias de força e superação

Eu escolho o que quero para mim!

Após um ano de terapia, eu aprendi muito sobre quem eu sou. Hoje, com 27 anos, eu sei que o que passei até o início desses 27 eu não vou conseguir mudar, e que a partir desse ponto eu (Eu posso e devo escolher) escolho o que quero para mim. Continuar...

Realizar, fazer acontecer. Meu maior problema!

Comecei meu tratamento, minha terapia, por problemas no meu trabalho. Minha vida profissional estava muito parada, nada do que eu fazia ou tentava dava certo. Eu não tinha êxito em realizar uma atividade profissional legal, que eu pudesse conciliar com os meus talentos, realização pessoal e sustento financeiro. Com 34 anos, ainda morava com os meus pais, o que me fazia sentir até mesmo envergonhada. Continuar...

Estava como uma bomba prestes a explodir

Iniciei meu tratamento para TDAH em 18/Abril/2007. Me lembro que no início me sentia como uma bomba prestes a explodir, um emaranhado de novelos, mas cheio de nós. Eu sentia angústia, tristeza constante e passividade. Muita distração e esquecimentos, que só me atrapalhavam. Continuar...

Estar no Presente. Centrado, focado, tranquilo.

Este é o momento. Dar o passo. Virar a página. Assumir o comando. A cada dia, a cada instante. Um passo de cada vez, em solo firme.