Suplementos Nutricionais para TDAH e Hiperatividade

Suplementos Nutricionais para TDAH e outros transtornos

Suplementos nutricionais fornecem os micro-nutrientes para melhor saúde e otimização das funções do corpo e do cérebro, o que muitas vezes não se consegue apenas pela alimentação.

Os suplementos são substâncias naturais, extraídas de plantas ou produzidas em laboratório imitando os mesmos componentes encontrados na natureza. Incluem vitaminas, minerais, aminoácidos e lipídeos – os mesmos que são encontrados nos alimentos. Certas substâncias bio-ativas como anti-oxidantes, energéticos e termogênicos também são considerados suplementos, por terem efeitos positivos sobre a saúde e o bom funcionamento do corpo, mente e cérebro.

Embora possam ser usados isoladamente, o mais comum é serem combinados em fórmulas para que os efeitos benéficos se potencializem mutuamente.

Suplementos nutricionais para TDAH e outros transtornos

A medicação para TDAH, depressão, ansiedade ou outros transtornos psiquiátricos tem boa eficácia em controlar os sintomas. Mas não são apenas os benefícios que contam. Devido aos efeitos colaterais, à necessidade de uso constante, questões de escolha pessoal (ou até mesmo recusa), até mesmo opção por um estilo de vida mais saudável, cada vez mais pessoas tem buscado alternativas mais saudáveis e sustentáveis.

Justamente por isto, cada vez mais se fala em suplementação nutricional como parte de um tratamento multi-dimensional do transtorno. Qual é a função da suplementação nutricional para a saúde geral e no caso de transtornos específicos? Como funciona? Quais os melhores suplementos? Dá resultado e em quanto tempo?

Quatro motivos para usar suplementos nutricionais

Nossa alimentação é pobre em nutrientes

Se podemos obter os nutrientes a partir dos alimentos, porque então tomar suplementos? O primeiro motivo é: nossa alimentação é bastante deficiente em micro-nutrientes que são essenciais para o ótimo funcionamento do corpo e do cérebro.

Quem consegue consumir peixe três vezes por semana, apenas proteinas magras, carboidratos complexos, porções ideais de castanhas e grãos com gorduras saudáveis, vegetais orgânicos multi-coloridos e sem agrotóxicos, além de porções de frutas diversas?

A qualidade dos alimentos que temos à disposição, mesmo quando pensamos em orgânicos, é cada vez mais pobre em termos dos nutrientes. Isto se deve à exaustão do solo, aos agrotóxicos, à progressiva diminuição da variabilidade das espécies e às culturas agrícolas que valorizam mais a estética, tamanho e quantidade dos alimentos que sua qualidade nutricional.

Problemas com a absorção dos nutrientes

O segundo motivo para usar suplementos nutricionais tem a ver com a capacidade intrínseca, de cada pessoa, em absorver os nutrientes a partir do alimento. O que se come é apenas a primeira parte de um caminho que envolve centenas, até milhares de etapas metabólicas até que o alimento se transforme numa célula, num neurônio, em sangue, em músculos ou em neurotransmissores.

Algumas pessoas são portadoras de variações genéticas que afetam o funcionamento das enzimas e, por tabela, podem ocasionar absorção deficiente dos nutrientes. Também, com a idade, a capacidade de absorção diminui, mesmo quando a alimentação se mantém saudável.

Necessidades especiais

O terceiro motivo para usar suplementação nutricional é dar melhores condições para o organismo enfrentar agressões, perdas de função decorrentes do envelhecimento ou para lidar melhor com distúrbios que estejam impedindo seu funcionamento normal. Neste sentido, a suplementação tem uma função preventiva e também complementar a outros tratamentos.

Grande parte das medicações psiquiátricas interferem no funcionamento dos neurotransmissores cerebrais. Por exemplo, no caso de psicoestimulantes para TDAH, a medicação inibe a recaptação do neurotransmissor dopamina. Por consequência, aumenta a quantidade disponível da dopamina cerebral. O mesmo ocorre com o efeito dos antidepressivos usados para ansiedade e depressão, em relação à serotonina.

Estes neurotransmissores são produzidos, dentro do cérebro, a partir de pequenos fragmentos de proteínas chamados aminoácidos. Fazer suplementação contendo estes aminoácidos, especialmente em conjunto com outros fatores envolvidos no metabolismo dos neurotransmissores, como minerais, co-enzimas e vitaminas, dará ao cérebro melhores condições de produzir os neurotransmissores. Esta maior produção dos neurotransmissores, por sua vez, trabalhará em conjunto com os remédios psiquiátricos, inclusive potencializando seus efeitos benéficos em doses menores e com menos efeitos colaterais.

Potencialização da saúde e performance

O quarto motivo para se usar suplementação nutricional é ajudar corpo, mente e cérebro a alcançarem seu maior potencial. Uma alimentação balanceada, com alimentos de qualidade, é a base para ter uma boa saúde.

Mas algumas pessoas buscam mais que saúde. Para quem tem outros objetivos, como esporte de alta performance ou atividades com forte demanda cognitiva, como estudos intensos ou trabalho mental exaustivo, a suplementação é essencial.

A própria atividade física ou mental intensa se torna uma fonte de stress e desgaste, exaurindo os recursos do corpo e do cérebro. Assim, a suplementação adicional ajuda a manter o equilíbrio, reparar eventuais danos ou mesmo permitir alcançar os patamares de desempenho desejados.

Quais os melhores suplementos para o cérebro?

Fosfolipídeos e gorduras saudáveis

Ômega 3

Gorduras provenientes de peixes, conhecidos como Ômega 3, são os suplementos mais conhecidos para a saúde do cérebro e também do sistema cardiovascular. Na área do TDAH, diversos estudos científicos, incluindo duas meta-análises, mostraram benefícios na hiperatividade, impulsividade e atenção.

Sempre que se utilizar Ômega 3, é essencial escolher um bom fornecedor, de marca respeitada. Por se tratar de um óleo extraído de peixes, há elevado risco de contaminação por metais pesados em produtos mais baratos e de pior procedência.

Fosfolipídeos – Fosfatidilserina e Fosfatidilcolina

Fosfolipídeos são outro nutriente da família das gorduras benéficas essenciais para o cérebro. São eles quem formam as membranas de todas as células. Especialmente no cérebro, dois fosfolipídios são muito importantes: a Fosfatidilserina e Fosfatidilcolina.

Fosfatidilcolina, junto com a Fosfatidilserina compõem a base estrutural e funcional das membranas neuronais e controla a transmissão das informações pelo cérebro e a condução dos impulsos nervosos. Por isto traz efeitos positivos sobre a atenção, memória, acuracidade visual e aprendizagem em geral.

São eles quem tornam as membranas mais fluídas, permitindo que os neurotransmissores possam fazer seu trabalho com eficiência na fenda sináptica. Também otimizam a transmissão nervosa, que é sinônimo de melhor funcionamento e plasticidade cerebral.

Deficiências em fosfolipídeos e condutibilidade neuronal são associadas a problemas cognitivos, de aprendizagem e transtornos como TDAH.

No caso do TDAH, a medicação psicoestimulante atua sobre o neurotransmissor dopamina, inibindo sua recaptação e portanto aumentando sua disponibilidade na fenda sináptica. A suplementação com fosfolipídeos atua em conjunto, tornando as sinapses mais sensíveis e responsivas a todos os neurotransmissores, entre eles a dopamina e noradrenalina.

Estimulantes naturais

Cafeína

A cafeína é o psicoestimulante mais usado no mundo. É a maneira mais natural e segura de ativação cerebral. Tem efeito estimulante, melhora o humor, energia e motivação. Ajuda a combater o cansaço e a sonolência, melhorando a concentração e foco.

Mas seus efeitos benéficos tem um contraponto. Facilmente ela desenvolve tolerância (a mesma quantidade deixa de produzir os efeitos) e, caso se aumente a dose, pode ocorrer agitação, ansiedade, tremores, taquicardia e outros desconfortos físicos ou mentais.

O máximo potencial da cafeína é alcançado quando ela é utilizada em conjunto com outros nutrientes, que contrabalançam seus efeitos negativos. Idealmente, a cafeína deve ser consumida em conjunto com L-Theanina (Glutamina), Taurina ou outros aminoácidos que atuem equilibrando o excesso de estimulação, para que se alcance um estado mental ativo, alerta e ao mesmo tempo tranquilo e relaxado.

Extrato de Guaraná

Sua substância ativa Guaranine é similar à Cafeína, porém com potência de efeito 300% a 600% maior. O extrato contém também taninos polifenóis, vitaminas A, E, B1 e minerais (cálcio, magnésio, ferro, potássio, selênio e estrôncio). Tem propriedades estimulantes e energéticas, melhorando o desempenho físico e mental, resistência ao cansaço, diminui a percepção da dor (dores de cabeça por exemplo) e melhora a resiliência diante do stress.

Seu efeito de aumentar a circulação do sangue (maior oxigenação) facilita a concentração, foco e raciocínio. Aumenta a motivação e até mesmo o desejo sexual, com efeitos positivos também na redução do colesterol, redução da diabetes e perda de peso.

As mesmas observações feitas em relação à Cafeína, referente o uso conjunto com outros aminoácidos que contrabalancem o excesso de estimulação como L-Theanina (Glutamina) e Taurina valem para o Guaraná.

Minerais

São absolutamente indispensáveis para o funcionamento do corpo e da vida. Apesar de precisarmos deles em quantidade muito pequenas, minerais são essenciais para todas as funções metabólicas, fazendo parte das enzimas e também de estruturas celulares.

Suplementos nutricionais dedicados a otimização cerebral, funções cognitivas e bem-estar normalmente usam Zinco, Selênio e Magnésio. Ferro é outro mineral muito importante para o cérebro, porém pouco usado em suplementos especialmente em adultos, pelo risco de aumentar a oxidação e processos inflamatórios.

Zinco

Muito importante para o cérebro e especialmente presente no hipocampo, área cerebral ligada à memória e aprendizagem. Ajuda na formação e crescimento de novos neurônios. É um mineral essencial para o bom funcionamento cognitivo e da inteligência, ajuda nas dificuldades de aprendizagem, lentificação e apatia.

Necessário para a neuroproteção, transmissão nervosa nas sinapses, para o metabolismo dos ácidos nucléicos (DNA e RNA), fosforilação, crescimento dos túbulos neurais e síntese (construção) dos neurotransmissores. Falta de zinco prejudica a divisão celular (DNA / RNA), síntese das proteínas e neurotransmissores cerebrais. Também essencial para as defesas do corpo e fortalecimento do sistema imune.

Magnésio

Um dos minerais mais importantes e menos conhecidos. Participa em mais de 300 reações enzimáticas e funções metabólicas, muitas delas diretamente relacionadas ao funcionamento cognitivo e bem-estar emocional.

Tem efeito de equilíbrio geral do sistema nervoso e estabilizador sobre a condução nervosa, o que reflete em menor agitação e redução da hiperatividade, especialmente em crianças. Ajuda a reduzir a ansiedade, hiperatividade mental, preocupações crônicas e pensamentos obsessivos, a “cabeça que não consegue parar de pensar” por seu feito sobre os neurotransmissor GABA e Serotonina no cérebro.

Tem também função neuroprotetora e de redução do cortisol e adrenalina, que são os hormônios do stress – por tudo isto, é o “mineral da resiliência”.

Selênio

Influi diretamente o metabolismo energético, melhorando a disposição e reduzindo o cansaço físico e mental, devido ao seu papel na formação dos hormônios da tireóide. Melhora a capacidade de sustentar o esforço mental e, indiretamente, a capacidade de se concentrar com maior ativação mental.

Ativa o sistema imunológico e tem função anti-oxidadante muito importante, com efeito anti-aging e de preteção contra perdas cognitivas ligadas ao envelhecimento. Também ajuda a perda de peso, aumento da massa muscular e recuperação pós exercícios físicos intensos.

Aminoácidos

As proteínas são os elementos básicos da vida. Por sua vez, proteínas são formadas por combinações de amoácidos – como várias peças de Lego são unidas para originar formas maiores. Nossa alimentação inclui vários tipos de proteínas. No corpo, as proteínas são quebradas durante o processo digestivo e seus componentes – os aminoácidos, são posteriormente recombinados em outros processos metabólicos para originar as moléculas que o corpo irá utilizar para diferentes funções.

Todo o funcionamento cerebral depende de neurotransmissores. Eles são produzidos pelo próprio cérebro, a partir de aminoácidos específicos (os tijolos básicos que formam as proteínas), através de séries de reações metabólicas muito complexas, envolvendo enzimas, vitaminas e minerais.

Justamente por isso, quando se tem um transtorno específico ou – ainda mais importante, quando se faz uso de medicação psiquiátrica, é importante dar ao cérebro todos os nutrientes incluindo os aminoácidos que ele precisa para produzir os neurotransmissores que, por sua vez, serão alvo da ação dos medicamentos.

Para melhor funcionamento cerebral, alguns aminoácidos tem função essencial e são indicados para suplementação.

L-Tirosina

Aminoácido de função estimulante usado para produção dos neurotransmissores Dopamina, Noradrenalina e dos hormônios da tireóide, que regula o metabolismo do corpo como um todo.

L-Tirosina é um aminoácido essencial para quem tem necessidade de maior foco, concentração e esforço cerebral, especialmente quando se utilizam medicações psiquiátricas e psicoestimulantes que atuam sobre o sistema da dopamina ou noradrenalina.

Situações de stress agudo tendem a esgotar a Noradrenalina e Dopamina, assim dar ao cérebro os suplementos que são a matéria prima para sua elaboração ajuda a aumentar a resiliência. Suplementação com L-Tirosina melhora a performance cognitiva em situações de pressão e ajuda a prevenir os déficits de memória induzidos pelo stress. Com seu efeito anti-fadiga, ajuda no bem-estar, a resistência e recuperação pós esforço (inclusive físico), redução da ansiedade, aumento da massa muscular e auxílio ao emagrecimento.

L-Triptofano

É o aminoácido base para a produção cerebral da Serotonina, o principal neurotransmissor responsável pelo bem-estar e equilíbrio emocional. Todos os antidepressivos usados no tratamento da depressão e ansiedade atuam sobre o mecanismo da Serotonina.

A Serotonina é conhecida como “neurotransmissor da felicidade”. Por isto, ajuda alcançar um estado de tranquilidade e bem-estar interior, para a melhora do humor, redução do stress e da ansiedade, melhora das compulsões, maior sociabilidade / relacionamentos, redução da raiva ou agressividade, fobias e pânico. Também melhora dores crônicas, transtornos alimentares e quadros depressivos.

A partir da Serotonina, é produzida a Melatonina, principal neurotransmissor que regula o ritmo circadiano sono-vigília. Sono de qualidade é indispensável para restaurar mente e corpo, ter estabilidade emocional e também melhora cognitiva (memória, atenção e aprendizagem).

L-Theanina (N-Etil-L-Glutamina)

No cérebro, a L-Theanina estimula a produção de Ondas Alpha, associadas à serenidade e bem-estar. Os neurotransmissores mais presentes no cérebro – Glutamato e GABA são formados a partir da Glutamina. Ajuda com relaxamento, tranquilidade, diminuição da ansiedade. Melhora a clareza mental, estar no centrado no presente e dormir melhor. É extraída do Chá Verde (Camelia Sinensis).

L-Theanina tem efeito tranquilizante sobre o cérebro, ao mesmo tempo estimulando os neurotransmissores associados ao bem-estar, como a serotonina, dopamina e GABA. São propriedades favoráveis à redução da ansiedade e angústia interior, auxiliando permanecer em estado de alerta tranquilo, sem excessos de agitação física / mental, sem hiper-estimulação nem sonolência.

Ajuda também o sistema imunológico, proteção das mucosas intestinais contra toxinas e o bom funcionamento cerebral.

Taurina

Aminoácido, com propriedades simultaneamente estimulates e tranquilizadoras. No cérebro, a Taurina atua sobre o mecanismo do neurotransmissor GABA, ajudando a alcançar um estado de atenção tranquila e relaxada. Ao modular a hiperatividade cerebral, reduz o stress, ansiedade e desgaste mental, melhorando o foco e a concentração.

Taurina potencializa o efeito estimulante e energético da Cafeína e do Guaraná. Ao mesmo tempo, em conjunto com a L-Theanina / Glutamina), contrabalança eventuais efeitos indesejados de agitação excessiva, insônia, gastrite, tremores (nas pálpebras e extremidades) e taquicardia. No corpo e nos músculos, a Taurina melhora a resistência ao esforço, reduz a fadiga, melhora os níveis de oxigenação e energia, aumentando a queima da gordura e melhorando a performance total. Tem ação anti-oxidante, ajudando a eliminar toxinas sub-produto do esforço físico.

Glicina (DMG – Dimetil-Glicina)

Inicialmente conhecida como Vitamina B16, a DMG – Dimetil-Glicina é a variante estrutural da Glicina com maior potencial de efeito positivo sobre o cérebro. Muito importante para o hipocampo, área do cérebro responsável pela consolidação de memórias e aprendizagem.

Tem múltiplas funções cerebrais. Como neurotransmissor, ao mesmo tempo estimula e acalma todo o sistema nervoso central. Tem efeito sobre a cognição, humor, apetite, digestão, sistema imune e sono. Ajuda na produção da serotonina, o neurotransmissor mais importante para o bem-estar emocional e sociabilidade. Também ajuda a absorção dos nutrientes no sistema digestivo, a reprodução sem erros do DNA / RNA e nos códigos genéticos que comandam todo o corpo, entre outras funções.

Recentemente, a DMG – Dimetilglicina, em conjunto com Betaína (Tri-Metil Glicina), Magnésio e vitaminas do complexo B (especialmente B6-B9-B12) tem sido estudadas por seus efeitos benéficos na melhora do comportamento social, redução da hiperatividade, melhora da agressividade em casos de hiperatividade infantil e também formas de autismo.

Betaína (Trimetil-Glicina)

Aminoácido derivado da beterraba, também conhecido por Trimetil-Glicina. Ajuda na absorção dos aminácidos essenciais, para que o cérebro tenha os componentes necessários para construir os neurotransmissores necessários para o foco, tranquilidade e bem-estar. Na área comportamental favorece a sociabilidade e as interações mais calmas e tranquilas.

Funciona em conjunto com a Colina, Glicina e Vitamina B6-B9-B12 para manter a metilação saudável, protegendo o corpo e o cérebro contra os efeitos tóxicos da homocisteína. Muito importante para a desintoxicação, reprodução celular e funcionamento do fígado. Ajuda a otimizar os níveis do Óxido Nítrico, que melhora o fluxo sanguíneo e dos nutrientes para todo o corpo, músculos e cérebro.

Lisina

Ajuda a normalizar as reações hormonais típicas do stress, levando à redução dos níveis de cortisol (principal hormônio do stress). Com isto, auxilia a redução da ansiedade crônica, minimiza a tendência à ruminação (pensamentos negativos compulsivos) e melhora a resistência ao stress, aumentando a resiliência – capacidade de enfrentamento das pressões e desafios.

Igualmente ajuda a na resiliência diante do stress agudo ao colaborar com a redução da hiperativação do sistema simpático. Tem também funções anti-oxidantes, imunológicas e de reparação geral do corpo.

Inositol

Colabora com os neurotransmissores Serotonina e GABA, ajudando a alcançar um estado de bem-estar, relaxamento e tranquilidade. Facilita um estado mental de serenidade, tranquilidade e relaxamento; ter um sono de qualidade, tranquilo e reparador.

Colabora com a resiliência ao minimizar os efeitos nocivos do stress no corpo e na mente. Auxilia o tratamento da ansiedade, depressão, compulsões, pânico, dores crônicas e transtornos alimentares, por seus efeitos no equilíbrio geral do sistema nervoso. Também participa da regulação da insulina e do colesterol, ajuda na síndrome do ovário policístico, sintomas de TPM, nos desequilíbrios dos hormônios masculinos/femininos e o bom funcionamento intestinal.

Antioxidantes

Para a vida ser possível, todos os organismos precisam produzir energia. Porém sua produção causa sub-produtos nocivos – são os radicais livres e substâncias tóxicas, como a homocisteína. Estas substâncias causam danos celulares, oxidação (sim, igual a ferrugem no ferro!) e inflamação, que estão envolvidas em muitas doenças, transtornos e também nos danos associados ao envelhecimento.

Antioxidades compõem categoria de substâncias bio-ativas que revertem os efeitos nocivos da oxidação e da inflamação, no corpo e no cérebro. Também atuam como co-enzimas, participando de diversos processos do metabolismo. São grandes aliados da saúde, combatendo os efeitos colaterais de processos naturais do organismo, ajudando na prevenção de doenças e até mesmo na melhora de sintomas já presentes.

Coenzima Q10 (Ubiquinol)

É uma molécula encontrada dentro da mitocôndria – organela celular responsável pela produção de energia. Aproximadamente 95% da energia total que o corpo necessita para funcionar depende da ativação pela Coenzima Q10, tanto para atividades físicas quanto performance mental.

A Coenzima Q10 melhora o fluxo sanguíneo e níveis saudáveis de pressão arterial. É também um potente antioxidante, que reduz a inflamação e o stress oxidativo, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas, como o Alzheimer. Em suplementos, é importante ser usada sob a forma de Ubiquinol, que é mais facilmente absorvida e aproveitada pelo corpo e cérebro.

Astaxantina

Potente antioxidante, descoberto há poucos anos e apenas recentemente incorporado aos suplementos nutricionais. É derivado das carapaças de animais marinhos, tendo uma bela coloração avermelhada.

Astaxantina é altamente capaz de eliminar os radicais livres nas células, órgãos e tecidos inclusive no cérebro. Também tem grande ação fotoprotetora contra os raios UV prejudiciais. Ajuda a proteger os olhos das agressões causadas pelo excesso de exposição à luz azul das telas, que podem causar degeneração macular, muito importante para quem passa muitas horas por dia trabalhando no computador ou usando smartphones.

Há indícios preliminares que a Astaxantina pode atuar na prevenção de perdas cognitivas ligadas ao envelhecimento, como a doença de Alzheimer. Outras funções importantes incluem a proteção cardiovascular, estabilização da glicose no sangue, melhora do sistema imunológico e redução geral dos níveis de inflamação do organismo

.

Vitaminas

Vitaminas são um tipo especial de proteína. Primeiro, por serem absolutamente essenciais para a vida. Daí vem seu nome – Vita Aminas, as aminas vitais. Segundo, porque diferente das proteínas comuns, o corpo não tem capacidade de criá-las internamente, a partir da recombinação e síntese dos aminoácidos. Assim, elas precisam ser obtidas a partir da alimentação ou da suplementação nutricional

.

Vitaminas do Complexo B

Especialmente as vitaminas do Complexo B são muito importantes para o cérebro. O cérebro funciona basicamente por meio de impulsos elétricos, em sendo assim, necessita de um mecanismo altamente eficiente de produção de energia. Também necessita de constantemente sintetizar neurotransmissores, sem os quais os neurônios simplesmente não conseguem realizar suas funções. Além disso, precisa se defender contra o stress oxidativo e os resíduos tóxicos do metabolismo.

As Vitaminas Bs participam conjuntamente de todas estas funções. Apesar de serem obtidas a partir de muitos tipos de alimentos, precisam ser ingeridas praticamente todos os dias. Por serem vitaminas hidrossolúveis, o corpo não consegue mantê-las estocadas, por isto sua suplementação é muito frequente e importante.

Há também muitos problemas orgânicos que prejudicam a absorção das vitaminas Bs, independente do quanto sejam ingeridas sob a forma de alimentos. Isto decorre tanto de questões genéticas que reduzem o funcionamento de algumas enzimas quanto de danos causados pelo próprio envelhecimento, uso de determinados medicamentos ou até mesmo outras síndromes de origem genética.

Vitamina B1 (Tiamina)

Tem efeito positivo sobre o nível de alerta mental, com função estimulante para o corpo e cérebro. A Vitamina B1 aumenta a resiliência, ajudando a suportar e superar o stress agudo ou crônico. Necessária para o corpo conseguir produzir energia a partir da glicose. É parte essencial para formação da ATP, principal molécula usada como usina energética pelas células.

É um nutriente muito comum em alimentos, porém se degrada muito facilmente durante armazenamento ou cozimento, podendo levar a déficits mesmo quando se tem uma alimentação saudável – por isto, sua suplementação é bem importante.

Vitamina B2 (Riboflavina)

Necessária para o bom funcionamento da tireóide e seus hormônios que controlam todo o metabolismo energético e a modulação do humor. A Vitamina B2 tem efeito positivo sobre a visão e protege o sistema nervoso como um todo, inclusive degeneração macular, catarata e danos aos olhos causados pelo envelhecimento.

Tem ação anti-oxidante, ajudando a manter a saúde cardiovascular, a queima das gorduras e facilitando o emagrecimento. Participa da formação dos glóbulos vermelhos do sangue, impactando na oxigenação e produção de energia pela glicose e também pelas gorduras.

Vitamina B3 (Niacina)

Ajuda o bom funcionamento cerebral, aumenta a resiliência e a capacidade de suportar o stress, ao participar na produção do cortisol, insulina, tiroxina (tireóide) e dos hormônios sexuais (testosterona, estrógeno, progesterona).

A Vitamina B3 é essencial para o metabolismo da energia, sendo precurssora das moléculas NAD+ e NATP, que produzem quantidade muito superior de ATP (as fontes básicas de energia). Tem função anti-oxidante, eliminação de resíduos tóxicos e efeito positivo na redução do colesterol no sangue. Também regula a resistência à insulina, os níveis da glicose no sangue e a transformação dos carboidratos, gorduras e proteínas em energia.

Vitamina B5 (Pantotenato de Cálcio)

Fortalece a resiliência e a resistência saudável ao stress, reduzindo a ansiedade crônica e depressão ao controlar a liberação dos hormônios do stress produzidos pelas suprarrenais.Indispensável para a conversão da colina no neurotransmissor acetilcolina, essencial para o bom funcionamento da inteligência, clareza do pensamento, concentração e memória.

É necessária para extrair energia dos alimentos, para a formação de vários neurotransmissores e enzima, estrutura e função dos neurônios. Diminui o cansaço e fadiga excessiva, mantém a produção adequada dos hormônios e da Vitamina D, reduz o excesso do colesterol e triglicérides.

Vitamina B6 (Piridoxina)

Influencia muito fortemente o sistema nervoso e cérebro, atuando sobre todos os neurotransmissores e vários minerais. Essencial para a síntese do ácido nucléico (DNA e RNA) e das proteínas.

Ajuda na reprodução de todas as células, inclusive do sistema imunológico. Ajuda a manter a produção de energia e o metabolismo saudável. Essencial para desintoxicação e eliminação do resíduo metabólico tóxico, a homocisteína, que aumenta o risco de depressão, demências, autismo e outros transtornos. Participa da formação do sangue e dos músculos. Ao todo, é necessária para o bom funcionamento de mais de 60 enzimas.

Vitamina B9 (L-Metilfolato) BioAtiva

Essencial para o bom funcionamento cerebral e síntese dos neurotransmissores.

Idealmente, deveria ser usada na bioativa da B9 – L-Metilfolato, que soluciona o problema de absorção da B9 a partir dos alimentos ou do ácido fólico. Este déficit de origem genética afeta cerca de 30% das pessoas do mundo e é comum em casos de TDAH, depressão e demências senis. O L-Metilfolato Bioativo tem absorção 26 vezes superior ao folato (encontrado nos alimentos) e ao ácido fólico (B9 sintética), por eliminar uma etapa da transformação metabólica.

Em conjunto com as vitaminas B6 e B12, conseguem rebaixar os níveis de homocisteína, que causa vários problemas ao corpo e ao cérebro, aumentando o risco de depressão, demências e outros transtornos.

A Vitamina B9 participa também da síntese e reparação do DNA, divisão e crescimento celular, produção das proteínas e formação das hemácias.

Vitamina B12 (Metilcobalamina) BioAtiva

É indispensável para a formação dos nervos, bainha de mielina dos neurônios e a transmissão das informações no cérebro.

Assim como a Vitamina B9, a forma bioativa da B12 – a Metilcobalamina – maximiza a absorção pois reduz as etapas para absorção, conseguindo ser usada diretamente pelo corpo e cérebro sem perdas, mesmo no caso de pessoas com problemas de metabolismo e absorção.

A Vitamina B12 também ajuda o corpo a extrair energia a partir dos alimentos, para que o cérebro possa ter o suprimento que necessita. Colabora com a saúde dos neurônios e a produção sem erros do material genético DNA e RNA. Em conjunto com a Vitamina B9, ajudam a produção dos glóbulos brancos e vermelhos, a oxigenação e o fortalecimento do sistema imonológico.

Vitamina C

É um dos antioxidantes e protetores do organismo mais conhecidos. Participa também em diversos processos de metabolismo do corpo, os mais conhecidos sendo o fortalecimento da imunidade, defesa contra os radicais livres, formação do colágeno, fortalecimento dos ossos e proteção da visão contra a degeneração macular, entre outros.

É facilmente obtida através da alimentação, porém se degrada facilmente e precisa ser ingerida diariamente, pois o corpo não consegue retê-la por muito tempo. Por outro lado, se for ingerida em altas doses, será simplesmente eliminada pela urina.

No cérebro, tem efeito positivo no aumento da resiliência e enfrentamento do stress, ajudando no equilíbrio dos hormônios ligados ao stress (especialmente Cortisol e Histamina e Norepinefrina). Ajuda na regulação do humor, pelo seu papel na produção dos neurotransmissores Serotonina, Adrenalina, Noradrenalina e Dopamina.

Vitamina D

Até bem pouco tempo atrás, só se conhecia o valor da Vitamina D pela sua participação na absorção do cálcio pelos ossos. É conhecida como a “Vitamina do Sol”, pois o corpo precisa da exposição à luz solar direta para que possa de fato sintetizá-la no corpo.

Atualmente, déficits em Vitamina D são muito frequentes e vem despertado bastante atenção dos profissionais de saúde, por se tratar de uma substância que tem importância muito além da parte óssea. É essencial para o sistema imunológico, digestivo, circulatório e nervoso.

No cérebro, sua falta tem sido associada a déficits cognitivos, especialmente redução das conexões neuronais no hipocampo (área cerebral relacionada à memória) e maior risco para demências senis, como Mal de Alzheimer.

Suplementação nutricional substitui usar medicação?

A suplementação é usada para dar ao corpo e ao cérebro melhores condições de funcionamento. A medicação também tem esta função, porém por caminhos diferentes, com tipos de resultados diferentes.

No caso de sintomas muito intensos, que estejam no presente causando prejuízos críticos, a medicação é uma alternativa de curto prazo que deve ser considerada. Em termos de manejo mais rápido dos sintomas, ela é de fato mais eficaz. Justamente por isso, pode valer a pena suportar os efeitos colaterais.

Tratamentos integrativos, que combinam diversas abordagens simultaneamente trazem melhores resultados especialmente no longo prazo.

Usar medicação em conjunto com suplementos, além de outras formas de tratamento complementares como terapias ou outras estratégias para ajudar o funcionamento cerebral pode ser o melhor caminho. Com o tempo, na medida em que as dificuldades são superadas de maneira sustentada, é possível deixar de usar a medicação, mantendo apenas as opções mais naturais.

Suplementos irão fazer o mesmo efeito que a medicação?

Infelizmente não.

Usar suplementos nutricionais quando sua criança ou você tem TDAH, problemas de aprendizagem, agitação / hiperatividade ou distração é muito útil e uma boa escolha, mas eles não irão trazer os efeitos imediatos e tão visíveis quanto os remédios psicoestimulantes, como a Ritalina, Venvanse ou Concerta.

Quanto tempo leva para fazer efeito?

É muito difícil se comparar os efeitos dos suplementos com os da medicação, pois são coisas completamente diferentes. O efeito das medicações psiquiátricas se tornam perceptíveis em no máximo poucas semanas. No caso de psicoestimulantes, o efeito normalmente se entre 15 e 40 minutos após o uso.

Os suplementos são uma abordagem que visa a saúde e a otimização do corpo, mente e cérebro no longo prazo. O tempo necessário para que tais efeitos benéficos sejam perceptíveis dependem muito do caso, do metabolismo específico da pessoa e de outros problemas ela possa ter bem como de sua intensidade (um transtorno específico como TDAH, depressão, prejuízos cognitivos, problemas emocionais ou comportamentais, ambiente externo mais ou menos favorável, etc).

Por tudo isto é sempre recomendado que se tenha uma abordagem multi-dimensional no tratamento de transtornos que envolvam cérebro, emoções ou comportamento. Só assim se conseguirão efeitos que atendam as necessidades de curto prazo e as expectativas de melhoras sustentáveis no longo prazo.

Suplementos tem efeitos colaterais?

De um modo geral, não causam efeitos colaterais se usados de acordo com as recomendações do rótulo. No Brasil, a produção e comercialização de suplementos nutricionais é controlada pela Anvisa, que tem normas muito bem definidas para as faixas de segurança e de uso.

É importante ressaltar os suplementos praticamente não tem efeitos colaterais, desde que usados corretamente. Eventualmente, a depender da sensibilidade da pessoa, alguns efeitos colaterais leves podem ser observados. Por exemplo, magnésio pode produzir fezes amolecidas, especialmente nos primeiros dias de uso. Ferro pode levar a prisão de ventre ou dores abdominais.

Sempre se recomenda cautela ao iniciar um suplemento. Caso observe algum sintoma adverso, interrompa seu uso e consulte um profissional da saúde.

Tenha sempre em mente que a suplementação funciona melhor como parte de um tratamento integrativo, que inclui outros tratamentos não medicamentosos como terapias, mudanças em estilo de vida, prática de atividade física, sono de qualidade e orientação aos pais e à escola (no caso de crianças).

Cacilda Amorim – Psicoterapeuta e Coach Comportamental

Diretora do IPDA – Instituto Paulista de Déficit de Atenção

CRP 06/61710

Referência em TDAH e Comorbidades desde 2004

CONHEÇA O IPDA – INSTITUTO PAULISTA DE DÉFICIT DE ATENÇÃO

Clinica especializada em TDAH – Déficit de Atenção. Referência em diagnóstico, tratamentos e cursos para portadores, familiares e profissionais. Transtornos isolados ou em comorbidades: Ansiedade, depressão,stress crônico, agressividade e impulsividade. Problemas profissionais, estudo / aprendizagem e relacionamentos.

Enviar mensagem
Olá, boas vindas ao Instituto Paulista de Déficit de Atenção. Estamos aqui para ajudar!

Por favor, envie sua mensagem pelo Whatsapp ou ligue para (11) 5051-2768 / (11) 99934-2768.