TDAH – UM TRANSTORNO PARA TODOS

ENTREVISTA COM A PSICOTERAPEUTA CACILDA AMORIM

TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção pode durar toda a vida

Transtorno do TDAH pode durar toda a vida| IPDA na Midia - Revista Platero

Fique atento: Distração, esquecimentos, agitação: Pode ser TDA/H

Revista Platero

Se você ou seu filho distraem a todo momento, tem dificuldade de organizar o ambiente ao seu redor e os próprios processos de pensamento, além de tendência à agitação ou hiperatividade física e mental e à impulsividade, fique atento: estas são as características mais conhecidas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Trata-se de um transtorno neurocomportamental, que inclui um componente orgânico relacionado a padrões de funcionamento cerebrais e, simultaneamente, é modulado pelos efeitos do ambiente e por processos comportamentais.

“O histórico familiar para o desenvolvimento desse problema é bastante significativo”, destaca a psicóloga Cacilda Amorim, diretora do Instituto Paulista de Déficit de Atenção (IPDA). “Há uma linha de hereditariedade bem estudada e documentada. Paralelamente, estilos de vida familiares funcionam como fatores de proteção ou agravamento. Estas circunstâncias ambientais (externas) interferem diretamente na probabilidade e intensidade da manifestação do transtorno”.

Sabe-se que a convivência numa família desorganizada, com poucos hábitos e sem rotina, tende a piorar a intensidade de um quadro do TDAH já existente. Já em famílias com hábitos e rotinas mais estruturados, a expressão dos sintomas é frequentemente menos significativa. Tanto que, quando se tem um caso dessa natureza, parte das ações para revertê-lo, minimizá-lo e tratá-lo envolvem um ajuste e suporte por parte da escola e dos pais, uma melhor estruturação, como rotinas, limites e regras, dentro daquilo que naturalmente é razoável para cada família”, diz Cacilda Amorim.

Não apenas em crianças

Conforme dados da Organização Mundial de Saúde, cerca de 2 a 5% das pessoas em todo o mundo sofrem de TDAH, um número relativamente alto se comparado a outros transtornos. Por volta dos seis ou sete anos, as maiores exigências do início da vida escolar acabam tornando os prejuízos e dificuldades mais visíveis. “No geral, as crianças têm capacidade de atenção menor que os adultos”, afirma Cacilda.

“Crianças têm também uma tendência maior a serem mais agitadas, mais impulsivas, agem sem pensar. Isso é próprio do desenvolvimento. No entanto, quando a discrepância em relação aos outros de idade similar é muito grande, pode ser indicativo de um transtorno. Isso se percebe em casa, nas famílias que têm outras crianças e na escola. Torna-se mais visível à medida que trazem complicações, como desempenho menor nos estudos ou muita agitação em casa”.

Segundo a psicóloga, é possível encontrar o problema também em adultos. De acordo com as estatísticas, em torno de 50% daqueles que apresentaram essas dificuldades na infância têm as mesmas características na idade adulta. “O TDAH, entretanto, nunca começa na idade adulta. Se aparecer mais tarde, sem qualquer comprometimento na infância, não atende aos critérios para o diagnóstico desse transtorno”.

Diagnóstico difícil

Não é fácil diagnosticar o TDAH, pois não há exames médicos disponíveis, além de envolver um julgamento clínico e subjetivo, baseado na experiência do profissional”, constata Cacilda. “Características como distração, esquecimento, agitação e impulsividade são como febre: podem ter origem numa gripe ou numa doença mais séria. O mesmo sintoma pode ter origens diversas e, dentro desse ponto de vista, discriminar entre tantos aspectos envolve um trabalho complexo.

Conforme o transtorno está sendo mais conhecido e mais divulgado, pessoas com esse sofrimento têm encontrado melhores possibilidades de tratamento e de aceitação. Ao mesmo tempo, aumentaram os riscos de diagnósticos exacerbados e autodiagnósticos, que têm sido muito comentados e criticados”.

A psicóloga enfatiza que não se fala em cura, mas em controlar os sintomas. “Dependendo da intensidade do caso, o tratamento pode incluir o uso de medicação para o substrato orgânico. Há um debate muito intenso sobre a aplicação de remédios psiquiátricos, com posicionamentos radicais tanto a favor como contra.

Revista Platero – Abril / 2011

Cacilda Amorim

Cacilda Amorim - Psicoterapeuta e Coach Comportamental

Diretora do IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção

CRP 06/61710

Conheça o IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção


Referência em TDAH desde 2004

Clinica especializada em TDAH – Déficit de Atenção. Referência em diagnóstico, tratamentos e cursos para portadores, familiares e profissionais. Transtornos isolados ou em comorbidades: Ansiedade, depressão,stress crônico, agressividade e impulsividade. Problemas profissionais, estudo / aprendizagem e relacionamentos.

Agendar Consulta

É POSSÍVEL SUPERAR

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho…

não precisam ser para sempre. Encontre a ajuda que você necessita.

Marcar Consulta

IPDA NA MIDIA

Entrevistas e Reportagens com Cacilda Amorim

TDAH adulto afeta vida profissional

TDA Adulto afeta a vida profissional

Especialistas estimam que a doença, chamada de TDA - Déficit de Atenção, atinja 4% dos adultos. O jornalista Paulo Bastos (nome fictício), 56, sempre se considerou um profissional dinâmico. Acumulava inúmeras tarefas e chegava a trabalhar até 12 horas por dia.

Qualquer um pode ter TDAH

TDAH – Um transtorno para todos

Se você ou seu filho distraem a todo momento, tem dificuldade de organizar o ambiente ao seu redor e os próprios processos de pensamento, além de tendência à agitação física e mental e à impulsividade, fique atento: estas são as características mais conhecidas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

TDAH no trabalho causa distração e desorganização

Eles não são apenas distraídos ou agitados

Conviver com uma pessoa desorganizada, distraída, falante demais ou muito agitada pode ser difícil e até irritante para alguns. Se você conhece alguma pessoa que preenche essas características, fique atento: ela pode ser portadora de TDAH.

TDAH pode causar esquecimento e problemas de memória

Esquecimento e problemas de memória? Pode ser TDAH

"Doença do Esquecimento", memória fraca e distração pode ser uma coisa mais séria. TDA - Déficit de Atenção é um transtorno que afeta adultos e crianças. Estima-se serem mais de 4 milhões no Brasil.

TDAH prejudica colocar prioridades

TDAH adulto afeta colocar prioridades

O portador de TDAH sofre para filtrar dados que o cérebro recebe. Como consequência, profissionais se confundem ao priorizar tarefas e não atentam a temas importantes. A grande dificuldade do portador de distúrbio do déficit de atenção é separar o joio do trigo das informações que recebe.

Multitarefa é uma ilusão

TDAH – Dá para multi-tarefar?

Multi-Tarefa é uma ilusão que prejudica demais a produtividade. Apesar de especialistas discordarem sobre as reais capacidades do cérebro. Faça este teste e comprove por você mesmo se a multi-tarefa prejudica ou não seus resultados.

TDAH não é apenas problema infantil

TDAH não é apenas problema "infantil"

Apesar do que muita gente pensa, o transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) não é uma doença exclusiva de crianças e adolescentes. Conhecido como uma síndrome que aparece na infância, o TDAH pode acompanhar a pessoa durante a vida adulta.

Seu filho tem TDAH ou é apenas falta de limites

Diagnóstico do TDAH Infantil – Transtorno ou Falta de Limites?

O diagnóstico preciso deve eliminar outras possibilidades e acompanhar a vida em família. Como saber se seu filho tem ou não o problema?

Direitos das pessoas com TDAH

Reprovação de aluno com TDAH é revista

Crianças e jovens com TDAH tem direito a suporte diferenciado na escola.

Uso excessivo de remédios Ritalina para TDAH

Ritalina para TDAH pode causar dependência

Ritalina, remédio "tarja preta" pode "causar dependência física ou psíquica", de acordo com advertência impressa na embalagem do produto. Brasil é o segundo maior consumidor mundial de Ritalina. Como tem aumentado muito a prescrição e consumo, especialistas estão cada vez mais preocupados.

Como facilmente treinar o cérebro

É simples treinar seu cérebro

Há múltiplas maneiras de treinar o cérebro. Ginástica Cerebral estimula neuroplasticidade, com efeitos muito positivos sobre transtornos de atenção. Sudoku é uma das opções, simples, divertida e barata.

Debate Ritalina e Educação no Brasil

TDAH, Ritalina e Educação no Brasil

Ritalina: será TDAH - Déficit de Atenção ou a escola que é pouco atrativa e ultrapassada? Epidemia de crianças que não conseguem prestar atenção ou necessidade de rever a educação?

TDAH na escola Como professor pode ajudar

Déficit de Atenção TDAH – Não é bicho de sete cabeças

Conheça alguns sinais do TDAH - Déficit de Atenção / Hiperatividade e saiba como proceder sem deixar que ele atrapalhe o desenvolvimento da turma. Agitação durante a aula, falta de atenção, problemas com o colega, desorganização com o material escolar, tarefas inacabadas.

Criança que não presta atenção nas aulas

Seu filho não presta atenção nas aulas?

Crianças com TDAH necessitam suporte e acompanhamento para aprender bem. Essencial o interesse no desenvolvimento da criança e manter boa comunicação com a escola.

Ansiedade no século XXI

Ansiedade – O Mal do Século 21

O corpo e a mente funcionam como um computador. A ansiedade intensa prejudica o foco, pois direciona a atenção para as preocupações e tudo aquilo que sinaliza risco ou perigo iminente.

Gameterapia para o cérebro

Gameterapia – Tratamentos inovadores para o cérebro

Cada vez mais especialistas oferecem tratamentos com programas que lembram videogames e levam ao domínio de funções fisiológicas, com potencial para tratar os mais diversos problemas de saúde física e mental.

Ginástica Cerebral

É hora de malhar os neurônios

Nosso cérebro começa a perder as células do sistema nervoso antes mesmo dos 30 anos. Mas pesquisas mostram que é possível retardar esse processo. E o melhor: jogando videogame.

Neurofeedback Globo Reporter

Mistérios do Cérebro

O diagnóstico dos médicos: Leonardo é hiperativo. A mãe rejeitou a idéia de tratá-lo com remédios e apostou na simplicidade de uma técnica de respiração para crianças com hiperatividade. O sono de Leonardo finalmente voltou.

Neuroterapia - tratamento usando games

Neuroterapia: Games auxiliam tratamentos

"Sentia uma falta de capacidade, medo de não executar uma tarefa no prazo. Não sabia lidar com a pressão". Há sete meses foi submetido ao tratamento com Biofeedback. Fã de games de corrida, ele conta que gostou do método. "A animação distrai e você acaba se acalmando. Hoje, tenho um controle melhor e estou mais focado".

Ajuda para crianças na escola

Fique ligado – O que pode atrapalhar na escola

Crianças com problemas na escola? Importante investigar o que pode estar acontecendo. Pode ser TDAH, dislexia, hipermetropia, astigmatismo, entre outros.