Crianças que não prestam atenção nas aulas

ENTREVISTA COM A PSICOTERAPEUTA CACILDA AMORIM

Seu filho não presta atenção nas aulas?

Criança desatenta distraída | IPDA na Midia - Portal IG - Delas

Pode ser distração (simples), falta de limites ou TDAH

Portal IG - Delas
Crianças com TDAH necessitam suporte e acompanhamento em seu desenvolvimento escolar. Essencial mostrar interesse no desenvolvimento da criança e manter boa comunicação com a escola.

Embora os problemas possam ser muitos, até mesmo em relação aos colegas de classe, a criança diagnosticada com TDAH necessita de acompanhamento no desenvolvimento escolar. De acordo com Cacilda Amorim, diretora do IPDA – Instituto Paulista de Déficit de Atenção, mostrar seu interesse em torno da educação do filho e manter linhas de comunicação eficazes com os professores são atitudes que devem ser tomadas.

Dentro da escola, por exemplo, as crianças portadoras do TDAH com hiperatividade predominante terão mais dificuldade em ficar sentadas na carteira, falarão muito e farão barulho. São aquelas que interrompem as aulas ou brincadeiras, ocasionando problemas com professores ou até com colegas de classe.

As crianças com TDAH em que a desatenção é predominante costumam cometer erros por descuido, chegando até a não conseguirem concluir tarefas mais longas, que exigem foco. Diferentes dos hiperativos, eles não chamam muita atenção e o transtorno pode acabar sendo diagnosticado somente mais tarde.

Na combinação de hiperatividade e desatenção, o problema do TDAH pode ser ainda maior e quanto antes for feito o diagnóstico, melhor. É a partir dos seis ou sete anos de idade que a criança pode ser diagnosticada com segurança, mas profissionais bem qualificados podem descobrir o problema até em crianças a partir dos três anos.

Será que é TDAH?

Nem sempre, porém, a falta de atenção em sala de aula é um fator decisivo para diagnosticar o TDAH. “Quando a criança, por exemplo, possui graves necessidades escolares, repetiu o ano, não aprende a ler e a escrever direito, é importante que ela seja avaliada para saber se não possui patologias de aprendizagem”.

Cacilda Amorim, Psicoterapia comportamental e diretora do Instituto Paulista de Déficit de Atenção (IPDA), em São Paulo, lembra que a base para um diagnóstico clínico é a intensidade dos sintomas em comparação a outras crianças de idade similar. “Uma criança com baixo rendimento escolar pode sofrer de TDAH, mas também pode ser dislexia, déficits na alfabetização, dificuldade momentânea de ajuste emocional, como perdas e separação dos pais, dificuldades em aceitar regras ou até mesmo um problema orgânico”, explica a especialista.

Por esta razão, é preciso tomar muito cuidado com qualquer rótulo. “As queixas de distração, agitação, impulsividade e dificuldades emocionais são compartilhadas por muitos outros problemas que não o TDAH”, afirma Cacilda.

Mitos do TDAH

Além de rótulos, os mitos em torno do distúrbio ainda persistem. O principal deles é a crença de que o remédio indicado para o tratamento do TDAH trará dependência. De acordo com a Neuropediatra Valéria Modesto Barbosa, de Juiz de Fora, em Minas Gerais, o principal medicamento usado no tratamento, a Ritalina, não causa dependência por ser eliminado do organismo entre quatro a doze horas depois de ingerida. Fábio ainda afirma que não medicar uma criança com TDAH seria como não medicar um adulto com diabetes. “Atualmente, existe todo um embasamento para descartar qualquer possibilidade de tornar a criança dependente”, afirma.

Segundo Cacilda, existem outras afirmações a respeito da criança com TDAH que devem ser revistas, principalmente pelos pais. “Ele é preguiçaoso e desmotivado” e “Ele vive com a cabeça no mundo da lua” são frases que um pequeno portador do TDAH poderá ouvir ao longo da fase de crescimento, mesmo que esteja lutando contra o problema. A criança pode também acabar acreditando que é realmente preguiçaosa ou até burra, e o papel dos pais neste momento é educar a respeito do transtorno e mostrar também as qualidades que a criança possui.

E agora, o que fazer?

Embora os problemas possam ser muitos, até mesmo em relação aos colegas de classe, a criança diagnosticada com TDAH necessita de acompanhamento no desenvolvimento escolar. De acordo com Cacilda, mostrar seu interesse em torno da educação do filho e manter linhas de comunicação eficazes com os professores são atitudes que devem ser tomadas.

Além disso, a especialista afirma que é fundamental enfatizar “o esforço da criança e não a inteligência ou a esperteza”, além de manter regras claras para a realização das tarefas escolares. A rotina é muito importante, como horários determinados para o estudo, alimentação, higiene, lazer e descanso. “Desta maneira, os pais evitam conflitos muito comuns, preservando a afetividade e a convivência familiar”, explica Cacilda.

Em relação a escola, os professores também devem tentar compreender os alunos com TDAH e tentar adaptá-los da melhor forma possível. “O professor, ao perceber que o aluno está mais agitado ou desatento, deve estabelecer uma comunicação com ele, dar uma tarefa para ele realizar fora da sala ou deixá-lo ir fazer uma pausa para que o ritmo seja quebrado e a criança tenha tempo – de respirar e se adaptar novamente ao que está sendo proposto”, conta.

O mais importante é saber dar o tempo que a criança necessita. E os pais, em nenhum aspecto, devem se sentir culpados por ter um filho com TDAH. “Eles são fundamentais para a felicidade e uma adaptação bem sucedida das crianças portadoras do transtorno”, alega Cacilda. “Uma das piores saídas para lidar com as dificuldades do TDAH é endurecer a disciplina, criando regras muito rígidas, sem criar condições para favorecer os avanços e sucessos da criança”..

Portal Ig – Delas – 22/02/10

Renata Losso

Cacilda Amorim

Cacilda Amorim - Psicoterapeuta e Coach Comportamental

Diretora do IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção

CRP 06/61710

Conheça o IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção


Referência em TDAH desde 2004

Clinica especializada em TDAH – Déficit de Atenção. Referência em diagnóstico, tratamentos e cursos para portadores, familiares e profissionais. Transtornos isolados ou em comorbidades: Ansiedade, depressão,stress crônico, agressividade e impulsividade. Problemas profissionais, estudo / aprendizagem e relacionamentos.

Agendar Consulta

É POSSÍVEL SUPERAR

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho…

não precisam ser para sempre. Encontre a ajuda que você necessita.

Marcar Consulta

IPDA NA MIDIA

Entrevistas e Reportagens com Cacilda Amorim

TDAH adulto afeta vida profissional

TDA Adulto afeta a vida profissional

Especialistas estimam que a doença, chamada de TDA - Déficit de Atenção, atinja 4% dos adultos. O jornalista Paulo Bastos (nome fictício), 56, sempre se considerou um profissional dinâmico. Acumulava inúmeras tarefas e chegava a trabalhar até 12 horas por dia.

Qualquer um pode ter TDAH

TDAH – Um transtorno para todos

Se você ou seu filho distraem a todo momento, tem dificuldade de organizar o ambiente ao seu redor e os próprios processos de pensamento, além de tendência à agitação física e mental e à impulsividade, fique atento: estas são as características mais conhecidas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

TDAH no trabalho causa distração e desorganização

Eles não são apenas distraídos ou agitados

Conviver com uma pessoa desorganizada, distraída, falante demais ou muito agitada pode ser difícil e até irritante para alguns. Se você conhece alguma pessoa que preenche essas características, fique atento: ela pode ser portadora de TDAH.

TDAH pode causar esquecimento e problemas de memória

Esquecimento e problemas de memória? Pode ser TDAH

"Doença do Esquecimento", memória fraca e distração pode ser uma coisa mais séria. TDA - Déficit de Atenção é um transtorno que afeta adultos e crianças. Estima-se serem mais de 4 milhões no Brasil.

TDAH prejudica colocar prioridades

TDAH adulto afeta colocar prioridades

O portador de TDAH sofre para filtrar dados que o cérebro recebe. Como consequência, profissionais se confundem ao priorizar tarefas e não atentam a temas importantes. A grande dificuldade do portador de distúrbio do déficit de atenção é separar o joio do trigo das informações que recebe.

Multitarefa é uma ilusão

TDAH – Dá para multi-tarefar?

Multi-Tarefa é uma ilusão que prejudica demais a produtividade. Apesar de especialistas discordarem sobre as reais capacidades do cérebro. Faça este teste e comprove por você mesmo se a multi-tarefa prejudica ou não seus resultados.

TDAH não é apenas problema infantil

TDAH não é apenas problema "infantil"

Apesar do que muita gente pensa, o transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) não é uma doença exclusiva de crianças e adolescentes. Conhecido como uma síndrome que aparece na infância, o TDAH pode acompanhar a pessoa durante a vida adulta.

Seu filho tem TDAH ou é apenas falta de limites

Diagnóstico do TDAH Infantil – Transtorno ou Falta de Limites?

O diagnóstico preciso deve eliminar outras possibilidades e acompanhar a vida em família. Como saber se seu filho tem ou não o problema?

Direitos das pessoas com TDAH

Reprovação de aluno com TDAH é revista

Crianças e jovens com TDAH tem direito a suporte diferenciado na escola.

Uso excessivo de remédios Ritalina para TDAH

Ritalina para TDAH pode causar dependência

Ritalina, remédio "tarja preta" pode "causar dependência física ou psíquica", de acordo com advertência impressa na embalagem do produto. Brasil é o segundo maior consumidor mundial de Ritalina. Como tem aumentado muito a prescrição e consumo, especialistas estão cada vez mais preocupados.

Como facilmente treinar o cérebro

É simples treinar seu cérebro

Há múltiplas maneiras de treinar o cérebro. Ginástica Cerebral estimula neuroplasticidade, com efeitos muito positivos sobre transtornos de atenção. Sudoku é uma das opções, simples, divertida e barata.

Debate Ritalina e Educação no Brasil

TDAH, Ritalina e Educação no Brasil

Ritalina: será TDAH - Déficit de Atenção ou a escola que é pouco atrativa e ultrapassada? Epidemia de crianças que não conseguem prestar atenção ou necessidade de rever a educação?

TDAH na escola Como professor pode ajudar

Déficit de Atenção TDAH – Não é bicho de sete cabeças

Conheça alguns sinais do TDAH - Déficit de Atenção / Hiperatividade e saiba como proceder sem deixar que ele atrapalhe o desenvolvimento da turma. Agitação durante a aula, falta de atenção, problemas com o colega, desorganização com o material escolar, tarefas inacabadas.

Criança que não presta atenção nas aulas

Seu filho não presta atenção nas aulas?

Crianças com TDAH necessitam suporte e acompanhamento para aprender bem. Essencial o interesse no desenvolvimento da criança e manter boa comunicação com a escola.

Ansiedade no século XXI

Ansiedade – O Mal do Século 21

O corpo e a mente funcionam como um computador. A ansiedade intensa prejudica o foco, pois direciona a atenção para as preocupações e tudo aquilo que sinaliza risco ou perigo iminente.

Gameterapia para o cérebro

Gameterapia – Tratamentos inovadores para o cérebro

Cada vez mais especialistas oferecem tratamentos com programas que lembram videogames e levam ao domínio de funções fisiológicas, com potencial para tratar os mais diversos problemas de saúde física e mental.

Ginástica Cerebral

É hora de malhar os neurônios

Nosso cérebro começa a perder as células do sistema nervoso antes mesmo dos 30 anos. Mas pesquisas mostram que é possível retardar esse processo. E o melhor: jogando videogame.

Neurofeedback Globo Reporter

Mistérios do Cérebro

O diagnóstico dos médicos: Leonardo é hiperativo. A mãe rejeitou a idéia de tratá-lo com remédios e apostou na simplicidade de uma técnica de respiração para crianças com hiperatividade. O sono de Leonardo finalmente voltou.

Neuroterapia - tratamento usando games

Neuroterapia: Games auxiliam tratamentos

"Sentia uma falta de capacidade, medo de não executar uma tarefa no prazo. Não sabia lidar com a pressão". Há sete meses foi submetido ao tratamento com Biofeedback. Fã de games de corrida, ele conta que gostou do método. "A animação distrai e você acaba se acalmando. Hoje, tenho um controle melhor e estou mais focado".

Ajuda para crianças na escola

Fique ligado – O que pode atrapalhar na escola

Crianças com problemas na escola? Importante investigar o que pode estar acontecendo. Pode ser TDAH, dislexia, hipermetropia, astigmatismo, entre outros.