PENSEI QUE FOSSE TDAH, MAS ERA UM DIAGNÓSTICO ERRADO!

Tive diagnóstico errado de TDAH, na verdade era Depressão

Quando vim para o IPDA tinha vários problemas – distração, ansiedade, esquecimentos, dúvidas profissionais. Pensei que fosse TDAH, mas não era. Era um diagnóstico errado. Depois que fiz a avaliação psicodiagnóstica, vi que uma parte eram características minhas, outras eram causadas pela depressão.

O diagnóstico correto foi muito importante. Entender melhor é como ter maior consciência, reconhecer a depressão e ver os pontos negativos… meu pessimismo, falta de auto-estima, timidez, pouca assertividade. Mas vi também o que já tinha de positivo, tudo o que eu já tinha conquistado… também tinha dúvidas sobre a minha inteligência, que na verdade é muito boa!

Quando comecei, estava no fundo do poço, incrédula. Não pensei que iria me desenvolver tanto neste pouco tempo. Estou mais otimista, menos dependente emocionalmente, mais forte… Consigo lidar melhor com os meus sentimentos, sem precisar dos outros pra tomar uma decisão, sem precisar ser querida sempre… Consigo segurar a onda melhor, não desabo tão facilmente, antes qualquer coisa me deixava pra baixo, deprimida e chateada.

Agora consigo entrar mais em conflitos, o que para mim é bom e ao mesmo tempo me relaciono melhor com minha mãe e minha irmã. Antes estourava muito fácil, vivia a flor da pele, qualquer coisa já me deixava irritada, predisposta a estourar. Agora quando elas começam a descontrolar, faço o máximo antes, para não chegar às últimas consequências.

Foi acontecendo naturalmente, só depois de um tempo percebi que estava encarando os problemas de outra forma. O namorado continua sendo uma pessoa importante, mas me sinto mais forte, menos dependente. Se eu achar que devo terminar, estou forte o suficiente para colocar um fim no relacionamento, não como no meu relacionamento anterior que durou 5 anos por medo de ficar sozinha.

O remédio para TDAH, a (Ritalina), que havia tomado antes, somente piorou a ansiedade. Quando passei para o remédio correto, o antidepressivo, senti que ele teve papel importante, especialmente em melhorar a ansiedade. Não tenho mais tantos episódios de comer como louca descontrolada, perdi 3 kilos sem esforço.

Agora tenho metas mais claras no trabalho. Relevo mais as coisas. Comecei a ver que não era eu quem fazia a vida do meu chefe um inferno, que eu não sou a causa do mal-humor e da raiva dele. Tudo isso me atinge menos.

Já melhorei a desorganização e falta de concentração. O que ainda me atrapalha é a dificuldade em impor limites e dizer não ao excesso de trabalho extra, porque no trabalho todos aceitam – e a questão é eu aceito ou eu desisto. Se não aceitasse, não teria continuado empregada.

O meu trabalho atual não me satisfaz. O problema não é apenas trabalhar muito, é que não vejo possibilidades de longo prazo, sou apenas mão-de-obra. Trabalho extra é apenas um turno e só isso, sem possibilidade de crescer.

Era preciso deixar meu trabalho, me convenci que este não é o caminho que quero seguir, preciso de outro caminho. Não me vejo daqui a 5-10 anos fazendo a mesma coisa. O que vejo são outras pessoas, que para elas 5-10 anos já se passaram e elas continuam na mesma.

Tomei a decisão de deixar o emprego e estudar para concurso. Esta idéia estava amadurecendo, estava com medo. Mas li depoimentos de outras pessoas, vi que teria que me decidir com muita força.

Conversei com a família e senti que era a hora da virada – o trabalho não estava me realizando e agora estou me dedicando integralmente. Tenho dinheiro guardado e vou conseguir encarar o prazo até ser aprovada.

*** L.M.B., adulta, 28 anos, arquiteta, recentemente aprovada em concurso público para Fiscal da Receita Federal. Fez avaliação psicodiagnóstica completa no Instituto Paulista de Déficit de Atenção e 30 sessões (10 meses) de tratamento, incluindo sessões de Terapia Comportamental-Cogniva, Coaching e programa de Hábitos de Estudo. Fez também tratamento medicamentoso para depressão. Transcrição de relato na sessão de encerramento da primeira parte do tratamento.

COMO TER FOCO

Mesmo quando você tem TDAH Adulto

Curso do IPDA – Instituto Paulista de Déficit de Atenção especialmente desenvolvido para TDAH Adulto. As melhores explicações, orientações e dicas práticas para superar a distração, agitação mental, esquecimentos, adiamentos crônicos, desorganização e baixo desempenho profissional.

Cadastre-se para mais informações

É POSSÍVEL SUPERAR

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho…

não precisam ser para sempre. Encontre a ajuda que você necessita.

Marcar Consulta Enviar Whatsapp

Será que você ou seu filho tem TDAH - Déficit de Atenção com ou sem Hiperatividade?

Escolha um dos Testes Online do IPDA

Teste de Déficit de Atenção - TDAH Adulto - Teste Rápido

Teste básico em duas partes - Distração e Hipertividade / Impulsividade. Total 18 questões sobre distração, esquecimentos, desorganização, agitação mental, impulsividade e outros.

Fazer o Teste
Teste Déficit de Atenção Adulto do IPDA

Teste desenvolvido no IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção para TDAH Adulto. Teste completo - 30 questões sobre as mais relevantes áreas afetadas pelo TDAH Adulto.

Fazer o Teste
Teste de Déficit de Atenção - TDAH Infantil - Teste Rápido

Teste básico para TDAH Infantil em duas partes: Distração e Hiperatividade / Impulsividade. Total 18 questões sobre desatenção, agitação, esquecimentos, impulsividade.

Fazer o Teste

TRATAMENTO DO TDAH ADULTO - DEPOIMENTOS

Veja estas e tantas outras estórias de força e superação

TDAH depoimentos

Eu escolho o que quero para mim!

Após um ano de terapia, eu aprendi muito sobre quem eu sou. Hoje, com 27 anos, eu sei que o que passei até o início desses 27 eu não vou conseguir mudar, e que a partir desse ponto eu (Eu posso e devo escolher) escolho o que quero para mim. Continuar...

TDAH depoimentos

Realizar, fazer acontecer. Meu maior problema!

Comecei meu tratamento, minha terapia, por problemas no meu trabalho. Minha vida profissional estava muito parada, nada do que eu fazia ou tentava dava certo. Eu não tinha êxito em realizar uma atividade profissional legal, que eu pudesse conciliar com os meus talentos, realização pessoal e sustento financeiro. Com 34 anos, ainda morava com os meus pais, o que me fazia sentir até mesmo envergonhada. Continuar...

TDAH depoimentos

Estava como uma bomba prestes a explodir

Iniciei meu tratamento para TDAH em 18/Abril/2007. Me lembro que no início me sentia como uma bomba prestes a explodir, um emaranhado de novelos, mas cheio de nós. Eu sentia angústia, tristeza constante e passividade. Muita distração e esquecimentos, que só me atrapalhavam. Continuar...

TDAH depoimentos

Após saber que eu tinha TDAH Adulto

Após saber que era TDAH há uns anos atrás, esse passou a ser o motivo único de minhas frustrações. Claro, eu sabia que tinha outras coisas não resolvidas, mas para mim eram apenas uma pequena parte. Eu via do Déficit de Atenção como a causa principal de todos os meus problemas. Continuar...

TDAH depoimentos

Duas coisas, muita diferença no tratamento para TDAH com depressão

Tudo começa quando você tem seu diagnóstico de TDAH com depressão e a doutora te diz o que precisa fazer para melhorar, qual tratamento será melhor. Duas coisas, muita diferença. Continuar...

TDAH depoimentos

Este negócio (o TDAH) não é exatamente você

Quando você descobre que tem TDAH, um problema que tem a ver com seu cérebro, vem uma reação de choque. Eu sempre tive medo de descobrir alguma coisa do tipo. Como, somente agora, que sou adulto? TDAH não é coisa de criança? Continuar...

TDAH depoimentos

Está mais fácil enfrentar o dia-a-dia

O principal dos meus problemas, a vergonha de me expor, o medo de falar em público foi muito trabalhado no começo do tratamento e acho que dei um passo importante no decorrer da terapia, tentando a todo momento superar esta barreira que tanto me atrapalha. Hoje nem tanto, mas no passado sim. Continuar...

TDAH depoimentos

O que aprendi com minha terapia

Eu comecei a terapia depois de ter sido diagnosticada com déficit de atenção, que é o famoso TDAH. Sempre achei que tinha alguma coisa errada comigo, não conseguia acreditar que era natural ter tantos problemas, tanta dificuldade com tudo, até para fazer as coisas mais ridículas, que qualquer um fazia na boa. Continuar...

TDAH depoimentos

Pensei que fosse TDAH, mas era um diagnóstico errado!

Quando vim para o IPDA tinha vários problemas - distração, ansiedade, esquecimentos, dúvidas profissionais. Pensei que fosse TDAH, mas não era. Era um diagnóstico errado. Depois que fiz a avaliação psicodiagnóstica, vi que uma parte eram características minhas, outras eram causadas pela depressão. Continuar...

Conheça o IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção


Referência em TDAH desde 2004

Clinica especializada em TDAH – Déficit de Atenção. Referência em diagnóstico, tratamentos e cursos para portadores, familiares e profissionais. Transtornos isolados ou em comorbidades: Ansiedade, depressão,stress crônico, agressividade e impulsividade. Problemas profissionais, estudo / aprendizagem e relacionamentos.

Cacilda Amorim

Cacilda Amorim - Psicoterapeuta e Coach Comportamental

Diretora do IPDA - Instituto Paulista de Déficit de Atenção

CRP 06/61710