Instituto Paulista de
Déficit de Atenção
Venvanse TDAH

Venvanse - A primeira medicação para TDAH da família das anfetaminas


Até aproximadamente 2012, o tratamento medicamentoso do TDAH no Brasil era quase que exclusivamente feito por meio da droga psicoestimulante Metilfenidato. A comercialização é feita por duas grandes indústrias farmacêuticas, com os nomes comerciais de Ritalina e Concerta. Já nos Estados Unidos, desde muito tempo há disponível uma gama bem maior de substâncias, muitas delas da família das anfetaminas.

As anfetaminas são drogas muito potentes (bem mais que o metilfenidato), muito conhecidas por suas capacidades de inibir o apetite e diminuir drásticamente o sono. Assim como o metilfenidato, atuam diretamente sobre o neurotransmissor dopamina, por isto seus efeitos de maior energia, euforia, concentração, redução do sono, apetite e cansaço.


Seguir

Compartilhar


Contudo, justamente por estas características e maior potência, seu risco de abuso e dependência é maior. Além disto, os riscos cardiovasculares são graves, inclusive de morte súbita. Recentemente, os inibidores de apetite baseados em anfetaminas foram proibidos pela Anvisa. Sabe-se, contudo, que apesar da proibição, o mercado negro das anfetaminas se mantém bem acelerado. Junto com a cocaína (outro psicoestimulante), é a droga mais usada pelos caminhoneiros e motoristas (conhecidas como "rebite"), para conseguir permanecer acordado, dirigindo a noite.

O Venvanse foi criado como uma alternativa às anfetaminas que, no tratamento para TDAH, tem alto índice de tolerência, abuso e dependência, como por exemplo o Adderall, uma combinação de sais de anfetamina. É também produzido a partir de um sal, o dimesilato de lisdexanfetamina e disponível apenas em formulações de Longo Alcance. Isto torna possível usar apenas um comprimido por dia, que libera a droga na corrente sanguínea em dois grandes picos. Com isto, o efeito é prolongado, chegando a 12 horas com o Venvanse. Ao mesmo tempo, os comprimidos de longo alcance reduzem o risco de abuso e dependência, por eliminarem o pareamento temporal entre o uso e a percepção do efeito (a euforia que acompanha os psicoestimulantes).

Segundo a bula do Venvanse, fabricado pelo Laboratório Shire, ele deve ser usado como parte de um programa total de tratamento, que pode incluir aconselhamento psicológico ou outras terapias. Na bula, o laboratório adverte: “As anfetaminas têm sido alvo de extenso uso abusivo. Tolerância, dependência psicológica extrema e incapacidade social grave ocorreram. Há relatos de pacientes que aumentaram a dose muito acima dos níveis recomendados”.

Ainda na linha das advertências, segue o laboratório: “O abuso deste medicamento pode causar dependência. O uso indevido de anfetaminas pode causar morte súbita e eventos adversos cardiovasculares graves”. Com relação a efeitos colaterais, ele pode causar redução do apetite, problemas para dormir, dor de cabeça, perda de peso e boca seca. Justamente por isto, tem sido frequentes relatos de seu consumo como substituto dos inibidores de apetite, agora proibidos.

Além de ser uma droga mais potente que a Ritalina e o Concerta, o Venvanse é também vendido em dosagens mais elevadas. Enquanto a dosagem máxima da Ritalina é 40mg e do Concerta é 50mg por comprimido, o Venvanse tem as dosagens de 30mg, 50mg e até 70mg.


Para saber mais

Autor

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho... não precisam ser para sempre.

É possível superar. Há muitas maneiras de melhorar sua qualidade de vida. Encontre a ajuda que você necessita.