Instituto Paulista de
Déficit de Atenção
Neurofeedback

O que é o Neurofeedback?


O Neurofeedback é um treinamento de alta tecnologia que permite alterar o funcionamento cerebral, usualmente para melhorar a concentração e velocidade mental. É baseado numa interface cérebro - computador. Sensores captam sinais elétricos provenientes dos neurônios, sendo decodificados e processados por um software especializado. Com isto, o funcionamento do cérebro pode ser acompanhado, em tempo real, pela tela de um computador. Daí, a pessoa vai aprendendo, por tentativa e erro, a levar o cérebro a mudar - o programa vai informando se está dando certo, muitas vezes sob a forma de pontos num game.


Seguir

Compartilhar


A marca neurobiológica mais comum do TDAH é uma lentificação nas áreas frontais do cérebro. O cérebro funciona através de descargas elétricas, que são a base da comunicação entre os neurônios. Estas ondas elétricas (pulsos rítmicos) são bem conhecidas e rotineiramente observadas por meio de EEG - eletroencefalografia.

Um EEG permite identificar padrões de ondas cerebrais, dentre eles a freqüência das ondas, medidas em ciclos (pulsos) por segundo. Ondas pulsando entre 16 e 21 pulsos por segundo são consideradas ondas rápidas; abaixo de 8 pulsos pos segundo são consideradas ondas lentas. A principal característica neurológica do TDAH é, então, um excesso de atividade de ondas mais lentas no córtex pré-frontal. Como esta é a área correlacionada às funções executivas, tudo o que é controlado por elas acaba potencialmente prejudicado - incluindo o controle voluntário da atenção, controle da agitação e movimentação excessiva, planejamento, julgamento e tomada de decisões, entre outros.


O Neurofeedback é uma das abordagens para treinar cérebro a funcionar diferente, praticando mantê-lo pulsando em faixas de frequência que são determinadas como os objetivos finais. Com isto, pouco a pouco a pessoa vai conseguindo tanto melhores resultados no treino quanto colhendo seus efeitos positivos, como maior capacidade de sustentar o esforço mental e a concentração. Os ganhos obtidos com o Neurofeedback são resultado de um processo de aprendizagem - a pessoa se torna, ao longo do tempo, capaz de focar e sustentar sua atenção, de forma voluntária e consistente.



O tratamento com Neurofeedback é completamente natural e não-invasivo. Ou seja, o cliente não recebe nenhum tipo de irradiação elétrica ou magnética do equipamento. Também não há risco de choque. Eletrodos são colocados sobre o couro cabeludo, para a captação das emissões elétricas dos neurônios, que pulsam dentro do crânio. Por meio de cabos, estas informações elétricas são enviadas a um computador.


O Neurofeedback tem comprovação científica?

Hoje em dia, já são muitas as pesquisas mostrando que o Neurofeedback tem efeito positivo sobre o TDAH. E este reconhecimento já vem de muito tempo. Há mais de 15 anos, em 2001, duas associações científicas internacionais - a AAPB - Applied Psychophysiology and Biofeedback e a ISNR - International Society for Neurofeedback Research - uniram-se em uma força-tarefa para definir cientificamente os padrões oficiais para avaliação eficácia do tratamento comBiofeedback e Neurofeedback. Cada tratamento recebe uma nota, de 1 (sem suporte emírico) a 5 (eficaz e específico), a depender do nível de eficácia.

A partir da análise das pesquisas realizadas até então (até 2001), o Neurofeedback para TDAH recebeu nota 4 em eficácia. Os resultados em geral mostram redução no excesso de frequências de ondas muito lentas e aumento das frequências mais rápidas, associado a melhora da capacidade de concentração em testes específicos e nas medidas gerais de inteligência, além de melhor desempenho acadêmico.


O Neurofeedback pode substituir a medicação?


Há vários tipos de tratamentos não-medicamentos que tem por objetivo melhorar o funcionamento cognitivo do cérebro, a base orgânica que é afetada pelo TDAH. O Neurofeedback é um deles, ao lado do Brain Fitness - Ginástica Cerebral e Brain Entrainment - Estimulação Cerebral. Neste sentido, todos tem um objetivo similar - reequilibrar as disfunções orgânicas, caracterizadas mais comumente pela hipofunção das áreas frontais.



Todas estas formas de tratamento tem seus níveis de eficácia, são capazes de produzirem os resultados a que se propõem. Mas há diferenças importantes. As alternativas não-medicamentosas, como o Neurofeedback, são totalmente naturais e não-invasivas, sem contra-indicações ou efeitos colaterais desconhecidos.

Já os psicoestimulantes, dentre eles a Ritalina, Concerta e Venvanse, são medicações psicotrópicas, de uso extremamente controlado. Até onde se sabe, os efeitos colaterais conhecidos não são graves, mas há suspeitas que efeitos desconhecidos até o momento possam aparecer. Um exemplo muito conhecido e comentado é do anti-inflamatório Vioxx, que por muitos anos foi campeão de vendas e prescrições e que foi retirado do mercado após muitos anos de uso, quando efeitos colaterais até então desconhecidos apareceram. Outro exemplo são as terapias de reposição hormonal para a menopausa, que descobriu-se serem fatores de risco para câncer.


A busca por melhoras de longo prazo e sustentáveis a longo prazo tem aumentado muito a procura por tratamentos não-medicamentosos. Como o TDAH não pode ser curado definitivamente, é preciso conseguir formas de tratamento que tornem o manejo de longo prazo dos sintomas o menos custoso possível. Como tanto o Neurofeedback como o Brain Fitness se baseiam em processos de treinamento e aprendizagem, seus ganhos se mantém por um tempo muito maior que a medicação. No caso da Ritalina, seu efeito dura apenas o período em que a droga está em ação, entre 4 a 8 horas. Se o tratamento é interrompido, todos os ganhos se perdem. Ou seja, o tratamento com a medicação é uma opção para a vida toda.



Por quanto tempo é preciso fazer o tratamento com Neurofeedback?


O Neurofeedback é um tratamento que demanda uma dedicação intensa, por ser um tratamento demorado e que necessita de um programa bem intensivo - recomendável duas consultas por semana, uma consulta no mínimo. Não é possível fazer uma definição prévia sobre a quantidade de tempo total, pois varia muito de pessoa para pessoa. Contudo, de um modo geral, sabe-se que é um tratamento longo. Para ter uma base realista, é preciso pensar em pelo menos 45 a 60 sessões, para garantir efeitos duradouros.


Ginástica Cerebral - Brain Fitness

Precisa melhorar seu desempenho?

Concentração, velocidade mental e memória.
Brain Fitness - Ginástica Cerebral é o caminho.
Conheça a parceria IPDA - Cognifit


O tratamento com Neurofeedback é muito caro?


Justamente por suas características técnicas, o tipo de equipamento necessário e o alto nível de treinamento exigido dos profissionais que o aplicam, o Neurofeeback acaba sendo um tratamento bastante oneroso. Também não tem cobertura pelos planos de saúde, o que exige o custeio particular das sessões.

É também um tratamento que demanda acompanhamento especializado. Não é algo que possa ser feito em casa, ou em consultas esporádicas, por exemplo, quinzenais ou mensais. Isto leva muitas pessoas a se interessar por fazer o Neurofeedback por conta própria, nas suas próprias casas, aplicando em si mesmas ou seus filhos.

Há um grupo de profissionais que oferece treinamentos para leigos, inclusive com a opção de locação dos equipamentos. Eu tenho sido constantemente consulta por interessados de cidades distantes dos grandes centros, que me solicitam uma alternativa como esta. É algo que não recomendo, por vários motivos, entre eles a impossibilidade da tomada das decisões do tratamento por um leigo (mesmo que, supostamente, com a supervisão de um terceiro) e os conflitos potenciais entre pais e filhos, recusa do tratamento, tentativas de chantagem, pressão e broncas - o tratamento acaba ficando, para as crianças, como mais uma "lição de casa".


Para quem procura saídas não-medicamentosas para o TDAH, que sejam menos custosas e que possam, de fato, permitam maior autonomia por parte do paciente, com menor necessidade de acompanhamento constante por parte do especialista - o que é ideal para quem distante de grandes centros, eu prefiro recomendar programas de Brain Fitness e estimulação cerebral por Brain Entrainment. Certamente é necessário um grau mínimo de acompanhamento, porém bem menor que para o Neurofeedback. Querendo ou não, questões financeiras, de deslocamento e tempo são muito relevantes, por isto encontrar uma solução que caiba em sua vida é essencial para que seja levada adiante, de forma sustentável.


Autor

Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho... não precisam ser para sempre.

É possível superar. Há muitas maneiras de melhorar sua qualidade de vida. Encontre a ajuda que você necessita.