Instituto Paulista de
Déficit de Atenção
Fiquei bem satisfeita, acho que tudo correu bem. Quando o médico passou ritalina, logo de cara, fiquei bem assustada. Não gostei nem um pouco, acho que é obrigação do médico conversar, explicar melhor, não somente passar a receita e mandar tomar.

Depois entendi que dava para experimentar outras formas de lidar com os problemas do meu filho. Achei que partir para o remédio logo de cara, sem tentar nada antes, era muito precipitado.


Podem falar o que quiser, que o remédio é seguro, que não tem problema, que eu não me sinto segura. O que mais me irritava eram tantas pessoas tentando me dizer o que fazer, quase que acusando porque eu não quis dar remédio. Mas eu prefiri tentar outras coisas antes. Afinal, a mãe sou eu.



** 1a. Avaliação de Acompanhamento - 4a. Sessão: Talvez eu tenha percebido que ele está mais obediente.

** 2a. Avaliação de Acompanhamento - 12a. Sessão: P. já está mais atento e com os pensamentos mais organizados. Consegue sentar e fazer as lições sem sair correndo e com mais obediência. Ainda há um comportamento que precisa trabalhado, como ficar insistindo e se tornando inconveniente dentro da educação que estamos dando. Por exemplo, quando estamos em uma festa ou uma reunião ele se torna irritado, descontrolado nas atitudes e desobediente.

** 3a. Avaliação de Acompanhamento - 21a. Sessão: Na área comportamental nós pais observamos o P. mais autônomo e com um pouco mais de maturidade. É uma criança muito sensível e emotiva, falante, está mais participativo e menos agitado.

** 4a. Avaliação de Acompanhamento - 25a. Sessão: Mais atento, mais interessado. A alfabetização, que era um problema, está acontecendo com facilidade, dentro do normal para a idade.

** 5a. Avaliação de Acompanhamento - 30a. Sessão: Neste mês houve reunião com as professoras, psicólogas da escola e o resultado foi muito bom. Todas elogiaram muito o desempenho do Pietro. O pediatra após 8 meses disse que ele está ótimo. A dentista também achou que ele mudou muito o comportamento, está mais receptivo e colabora mais. Faz fono, também foi muito elogiado pelo bom comportamento e amadurecimento. Foram tantos elogios que recebemos em relação ao P. que só temos realmente que achar que tudo funcionou bem e agradecer ao IPDA por tudo isto.

Sequência de depoimentos da E.B.K, mãe de P.B.K, de 6 anos de idade, durante o tratamento com Neurofeedback


Seguir

Compartilhar



Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho... não precisam ser para sempre.

É possível superar. Há muitas maneiras de melhorar sua qualidade de vida. Encontre a ajuda que você necessita.