Instituto Paulista de
Déficit de Atenção
Primeiramente, o que considero o principal dentre os problemas, a vergonha de me expor, o medo de falar em público foi muito trabalhado no começao do tratamento e acho que dei um passo importante no decorrer da terapia, tentando a todo momento superar esta barreira que tanto me atrapalha, hoje nem tanto, mas no passado sim.


Consegui realizar minha apresentação de final de semestre (o TCC da faculdade) com um grau muito grande de satisfação, o que me motiva a continuar sempre a enfrentar as situações por mais nervoso que eu possa ficar.



Outra questão abordada foram as constantes brigas em casa, estas causadas ora por meu temperamento difícil, ora pelo simples convívio com a senhorita minha irmã, que por sinal é muito parecida comigo, fazendo com que as brigas aconteçam com uma facilidade inexplicável. Acredito que muitas lições eu já levo das conversas que tivemos nas terapias, desde a parte onde devo ceder mais por ser mais velho até a parte de parar de fazer birra, afinal já não é mais condizente com minha idade.


Saber de tudo isso eu sei, o problema esta em praticar, aí complica. Mas vou treinar, com o tempo as coisas vão melhorar.



Por fim a questão que estamos abordando muito enfaticamente, a auto-estima rebaixada, aquela da famosa pasta (o protocolo de tratamento do IPDA) que parece que foi feita para mim.

Confesso que está sendo mais fácil enfrentar as situações do dia a dia, após mostrar o portfólio para meu professor e ouvir suas críticas, estou mais aberto a mostrar meus trabalhos para outras pessoas e confiar mais em meu potencial.

Esta é mais uma coisa que precisa ser constantemente trabalhada não só para que eu passe a ter mais confiança em mim, mas também para evitar frustrações, para que eu possa ser mais feliz com menos cobrança. Além deste último tópico, todos os outros que foram conversados como: família, namorada, emprego, desenvolvimento profissional etc. que me ajudaram a lidar com as dificuldades e com as diferentes situações que apareciam no decorrer da terapia.

Gostaria de agradecer a você por toda atenção, pelos conselhos dados, enfim, por tudo. Muito Obrigado.


L.F.F.T., 23 anos, estudante de arquitetura, ao término do tratamento - Terapia para TDAH - Déficit de Atenção Adulto, associada a ansiedade, medo de falar em público, timidez e baixa autoestima. Acompanha o depoimento de sua mãe.


Seguir

Compartilhar



Distração, esquecimentos, agitação, desorganização, baixo desempenho... não precisam ser para sempre.

É possível superar. Há muitas maneiras de melhorar sua qualidade de vida. Encontre a ajuda que você necessita.