Instituto Paulista de
Déficit de Atenção

Impulsividade: Quando não dá para segurar...


A impulsividade excessiva tem impactos fortemente negativos sobre o desenvolvimento pessoal, resultados escores, vida profissional e relacionamentos interpessoais. Pelas suas conseqüências diretas, acaba gerando frustração, raiva, rebaixamento da estima e insatisfação geral. Seu efeito sobre as outras pessoas é grande, o que potencializa seus efeitos prejudiciais.

Na infância, a falta de auto-controle compromete o desenvolvimento em muitos aspectos. Na área social, prejudica os relacionamentos com outras crianças. Uma criança que não saiba esperar, atropelando os outros; não saiba ouvir instruções, explicações ou orientações até o final; que não tenha controle sobre suas explosões emocionais; que não siga regras em jogos e brincadeiras, terá certamente problemas em conquistar e manter amizades. Muitas vezes, o relacionamento com adultos é mais fácil, por serem estes mais compreensivos (ou permissivos). Já o convívio prejudicado com outras crianças deve ser visto como um sinal de alerta.


Seguir

Compartilhar



Uma criança com tais características, caso mantenha estes padrões na adolescência ou idade adulta, poderá perpetuar estas dificuldades. Os efeitos negativos da impulsividade e falta de auto-controle pode ser muito intenso, especialmente no ambiente de trabalho e no casamento, são forte preditores de stress crônico, ansiedade e depressão em adultos com TDAH.


As pessoas ao redor dificilmente aceitam com facilidade atitudes que magoam, prejudicam ou desrespeitam. O ônus é grande – normalmente envolve grandes esforços para manter a tranquilidade e seu próprio auto-controle, para não estourar; também, para suportar as frustrações de conviver com alguém que age de forma explosiva, aparentemente egoísta e auto-centrada.



Mesmo sabendo que os atos de uma criança ou do parceiro não são devidos a oportunismo, "folga", "defeitos de personalidade" ou falta de educação, aqueles que convivem com o TDAH / Impulsividade são muito exigidos. É um grande desafio conviver e compreender pessoas parecem sempre colocar suas necessidades em primeiro lugar, esperando que tudo corra na hora e da maneira como desejam.

Justamente por isto é essencial estar alerta para procurar ajuda, logo que qualquer excesso se torne um problema mais grave. No caso de crianças, orientações aos pais e terapia comportamental infantil trazem ótimos resultados. Em adultos, tratamentos direcionados ao controle da agressividade, melhora da assertividade - afirmação positiva, melhora da comunicação e resolução de problemas tem grande potencial para melhorar a qualidade de vida e os relacionamentos.

Autor